7.4.14

Boas referências? Isso é relativo


Posso estar completamente errado, mas semprei achei que encontrar boas referências é importante mas viver apenas delas (ou mergulhado nelas) é perigoso e pouco “saboroso”. Por exemplo, profissionalmente é importante que acompanhe as últimas tendências/referências em áreas como a comunicação, a publicidade ou o humor, mas faz-me alguma confusão quando vejo pessoas que se refugiam a 98% nas referências do que está a ser feito (e hoje em dia, com a Internet, esse filão é infinito) e esquecem a base das coisas – a realidade à nossa volta. E, a partir daí, cria-se com base em sucedâneos, ainda que bons, mas perdendo-se muita coisa pelo meio.

Mas, fujamos do campo profissional e das referências mais mediáticas (cada um que tenha os ídolos que lhe apeteçam) e deixem-me pairar na vizinhança. A verdade é que descobri em blogs inúmeras e boas referências dos mais diversos géneros, isto em termos de conteúdos, porque não ligo muito a formas/modelos de sucesso. Já segui blogs quando tinham para aí dez visitantes porque achava piada ao conteúdo e hoje que arrastam milhares já não me seduzem tanto. Tem a ver com a linha editorial, com a fórmula A, B ou C? Talvez, não sei, se calhar simplesmente desinteressei-me. Mas, por outro lado, também já cheguei a sites/blogs imensamente conhecidos que, apesar de não viver numa gruta, parece que só eu é que não conhecia.

O que se torna curioso, especialmente em blogs é que, mais do que os meus interesses pessoais, algumas das minhas descobertas mais recentes tocam em áreas que me são mais estranhas. Sigo pessoas que falam de poesia, arte que não domino e da qual, apesar de respeitar, não sou o maior entusiasta, só porque o fazem de maneira interessante e próxima, sem aquele filtro intelectual/elitista que mina certos entendidos (ou pseudo-entendidos) na matéria. Não sendo pai, consigo perfeitamente ver a parentalidade e toda essa experiência transformadora de vidas pelos olhos de quem a escolhe retratar fora dos cânones mais comuns da categoria, condimentando-a obviamente com humor e outras coisas em que me reconheço. Não entro na competição de fotógrafo amador, semi-profissional ou artista do Instagram, mas dá-me gozo ver gente que fala melhor com imagens do que outros com quilos de letras.

E, apesar desta lista da direita estar desactualizada que até apita, com links em falta para gente que os merece e ua necessidade de uma aspiradela para limpar os cantos à casa, há sempre uns apontamentos para me surpreender quando vou ali clicar nos links. Não sei se são boas referências ou não, mas o facto de estarem aqui não é bom sinal para ninguém…


T -24

1 comentário:

  1. Estou tentada a aspirar de vez a minha lista, até porque as pessoas por detrás dos blogues, algumas, muitas, já fazem muito pouco por eles, e o que na realidade antes era maravilhoso, agora é só um sítio onde vão deixar trás linhas, a custo, para que alguém que ainda tem a pachora de lá ir, lhe afague o ego.

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.