13.3.14

Um dia vou parar o mundo



Não se tratam de delírios de grandeza ou doping com egocentróides. É simplesmente aquela noção ligeiramente nervosa, ligeiramente pressionante que estás sempre atrasado para algo, faças aquilo que fizeres.

Há sempre trabalho à espera, há sempre amigos à espera, há sempre o tudo que queres fazer e o nada que consegues atingir e, para não variar, há coisas que não esperam e se transformam em cenouras, para que não percas a ilusão de que se te apressares mais um pouco as vais conseguir alcançar.

E é por isso que eu preciso de parar o mundo, estilo Flashforward, mas sem o beicinho eternamente carente do Joseph Fiennes. Faço tudo o que tenho em atraso, ninguém dá por isso e depois arrancamos de novo, fingindo que isto não se vai repetir outra vez.

É que hoje é quinta-feira e eu ainda mal consegui chegar a quarta.


1 comentário:

  1. Esta Quarta-Feira é perto do Sabugal, certo?

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.