19.3.14

Um dia sensível merece uma obra sensível


Não tendo filhos, não lhes posso dedicar posts a explicar-lhes porque é que daqui a vinte anos ainda me devem venerar e que a possível irreverência que hoje ostento é um bom patamar de referência em termos do sustento que um dia me deverão providenciar, isto quando o colapso da Segurança Social acabar com o que resta do conceito “reformado”.



Por outro lado, tendo um pai bastante mais dado a números do que a letras, podia dedicar-lhe um post com belas fórmulas e um elogio à atitude do russo Perelman face às cenas do Poincaré, que incluiu dizer à malta da medalha Fields para a irem enfiar no sítio onde se esconde a hipotenusa. Mas, na verdade, o meu pai está-se marimbando para blogs e afins e há pouca esperança que um post lhe venha a mudar a atitude.



Sendo assim, queria agradecer à Alice Munro o que o seu livro de contos tem feito por mim nos transportes públicos. Aquela capa ternurenta faz com que vislumbrem uma certa sensibilidade no seu portador e o facto de ser em inglês mascara-me como uma espécie de intelectual pobretanas, destoando assim daquela mancha corporate agarrada aos seus gadgets tecnológicos. Tenho a certeza que se vertesse uma lágrima ou suspirasse um bocadinho ganharia um abraço na boa. Na pior das hipóteses ganharia o direito a uma tentativa de assalto por andar nos limiares da sensibilidade urbana.






Filho, se um dia nasceres e leres isto, acima de tudo peço-te simplesmente para acreditares numa coisa – o teu pai não passava os dias alcoolizado ou sob o efeito de drogas, era mesmo assim parvo.

8 comentários:

  1. Respostas
    1. Não te rias que ainda não o acabei ;)

      Eliminar
  2. não tenho pai (até tenho mas não sei mt bem quem é) mas tenho a certeza que ter um pai parvo é a coisa mais excelente e fantástica do mundo... just sayin =)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Em termos de parvoíce a minha herança será forte...

      Eliminar
  3. isso de facto não é capa de nobel!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Antes a capa do que o conteúdo ;)

      Eliminar
  4. Tu não dês ideias à comunidade masculina...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Existe uma comunidade masculina? Tipo cenas com aventais e afins?

      Eliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.