20.3.14

Treinos de sapateado corporate



"Afinal de contas, o que queremos dizer com isto?"

Silêncio na reunião, mas daqueles silêncios difíceis de preencher com a habitual conversa de encher reuniões.
Ninguém estava à espera daquela pergunta, naquela altura, vinda da pessoa que tinha dado luz verde a tudo. Foi como se um maestro olhasse para a batuta e questionasse o propósito desta.
Várias pessoas falaram com os olhos, sem que os seus lábios se mexessem - “Vai lá tu”, “Isto é contigo”, “Como é que este tipo faz uma pergunta destas, agora?”, “Não me compete a mim elaborar sobre isto...”.
Alguém bebeu água, cada gole soou a “jambé” em noite de acampamento e a imobilidade dos slides rivalizava com as estátuas de carne e osso sentadas em confortáveis cadeiras, com os seus smartphones a um palmo de distância.
Foi então que uma cabeça se voltou para mim. Depois duas e a maré trouxe mais duas, até que aquilo se tornou uma aula de ginástica de rotação de pescoços. Ao que parece a resposta esteve o tempo toda escondida em mim e ninguém me fez o favor de avisar antecipadamente.

E foi então que respondi algo que se pareceu com isto:




Arte, retórica, sapateado e moonwalk. Não há como não concordar com esta receita de sucesso.

Fim de silêncio, início de sorrisos e intermináveis conclusões de fim de reunião. Vá lá, não me doíam os pés.


Sem comentários:

Enviar um comentário

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.