24.2.14

Tira as mãos do telefone, se conseguires

Desafio-vos.

24 horas sem telefone, smartphone, tablet e afins. Ainda será possível?
Fisicamente, sei que sim, mentalmente, talvez não.

Acredito que a dependência do "always on" seja maior do que às vezes damos conta. Então e as pessoas que querem falar connosco? E os mails que se acumulam? E selfies tão boas para tirar? E aquela senhora ali à frente que tem uma perna de pau e era tão fixe para colocar um post no Facebook a dizer que já chegou a carta da Olá para 2014 e o Perna de pau vai ter versão feminina?

Podem esperar. Sim, podem sempre esperar ou ser consultados em dispositivos fixos que permitam fazer o mesmo. Talvez não consigamos nós, mas é possível.

Amanhã não dá jeito? Experimentem no fim de semana.
Ou num fim de semana.
De 2014, se der para orientar.
Ou então um dia destes, quando acabar a bateria.


13 comentários:

  1. esse desafio para mim, é facílimo. não sou tecnologia/gadgets dependente. recebo sermões porque nunca atendo o tlm (por motivos profissionais está no silêncio e permanece assim o dia todo). ainda há pessoas assim...como eu

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu gosto de tecnologia e gadgets, mas consigo viver perfeitamente sem o telemóvel ao lado (ainda assim, não sou grande fã de falar ao telefone).

      A ansiedade do "sempre contactável" é um sintoma que amplia as nossas neuroses e como tal, enquanto puder evitá-la...

      Eliminar
  2. Respostas
    1. Hmmm...e que tal meio dia, só para tentar?

      ;)

      Eliminar
  3. em janeiro passado estive uma semana sem tlm, net ou qualquer outra tecnologia/distracção... no deserto. Um grupo de cerca de 20 pessoas sem nada mais que a companhia uns dos outros, umas guitarradas e areia... muita areia :). No ano passado estive 2 semanas! É possivel e sabe bem e percebes que essas coisas não te fazem falta nenhuma (não com a frequencia que normalmente estamos habituados). Pensava o mesmo da televisão mas já lá vai meio ano sem tv em casa e não sinto falta nenhuma... menos ruido no meu dia a dia. é bom!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. De facto, se repararmos, a maior parte das pessoas quando vai de férias para o estrangeiro, sendo o roaming mais caro, etc, mesmo quando não desliga como nessa situação do deserto, está muito menos contactável e vive perfeitamente.

      Em relação à televisão (filmes, séries, etc), tenho a mesma política que com o vinho, é boa em doses moderadas e ajuda saber escolher.
      Respeito essa decisão de não ter, mas ainda não estou nesse patamar.
      (pode não ser o caso, mas conheço pessoas que me dizem não ter televisão, mas são consumidores ávidos de filmes e séries via computador o que, em traços gerais, para mim anda pela mesma área)

      Eliminar
  4. Respostas
    1. Depois dá uma apitadela se conseguires ;)

      Eliminar
  5. estás a gozar, certo? é óbvio que se consegue. Eu faço isso umas 2 ou 3 vezes por mês, aos domingos, e não é por vontade, é mesmo por esquecimento. Esqueço-me de carregar o telemóvel, ele desliga-se e só noto na 2ª feira de manhã. E não vou à net no computador, tenho coisas mais interessantes para fazer.

    Agora se me falasses em ficar uma semana sem essas comunicações, ah isso já é diferente, teria que incluir vontade activa para isso, mas sinceramente também acho perfeitamente possível.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas eu consigo, mas não sei se é algo que não se aplique cada vez mais a uma minoria. Se soubesses a % de pessoas que tem o telemóvel a menos de 1 metro de distância todas as 24h do dia (eu já li um artigo sobre isso mas não encontro), é um factor que realça essa dependência.

      O que me parece é, perante o facto dado - estou sem telemóvel, não tenho nada por perto, etc, as pessoas (des)habituam-se rapidamente. O que cria ansiedade é a ideia inicial da separação e, a meu ver, é isso que impede em muitos casos a concretização.

      Eliminar
    2. sim, claro, eu tenho um espécime desses em casa (não sei se é defeito de profissão, porque é programador) que até para a sanita leva o raio do android. Eu entendo, é um substituto da revista :)
      Mas estou a ser injusta, o espécime também é perfeitamente capaz de não estar junto do seu querido telemóvel pelo menos 24 horas, nem fica a ressacar por não ver a net durante esse tempo.

      Eliminar
  6. Dificilmente farei tal coisa. O telemóvel é o meu relógio e eu dificilmente não tenho que andar guiado por horas.
    Por outro lado, estando numa relação à distância, prefiro não passar 24h sem comunicar com a outra metade do casal...
    Mas tenho um pequeno projecto pessoal a realizar em breve (quando parar de chover) relacionado com a não conectividade constante.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Força nisso, estaremos cá para ver, se o projecto for passível de se tornar público :)

      Eliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.