12.2.14

Música que se prende ao céu da boa


Independentemente da sua qualidade ou da sua novidade, por vezes há músicas que se colam ao céu da boca. Seja pela repetição, por uma ou duas palavras chave, pelo instantes em que a apanhámos ou por ter aquela parte com um “nanana” ou um “yeyeye” a que é difícil resistir. E é nessa altura que essas músicas sobem no ranking das nossas playlists ou que, para quem corre, se tornam aliados para dar ritmo nas partes mais puxadas.

  
Neste momento, estou a tentar “livrar-me” desta faixa que se colou a mim e ao meu mood e que, para quem preferir, tem uma versão de videoclip muita moderna, estilo Robert Rodriguez, mas trocando o Antonio Banderas por uma jovem de melhor porte.

 


Suponho que isto seja um mal comum e nem me venham com a história daquela faixa dos Marretas que é boa para limpar o palato de fenómenos semelhantes. Para isso era preciso que eu estivesse preparado para passar ao próximo tema...

4 comentários:

  1. Ok ok, este não é um espaço opinativo. Mas isto não é uma opinião. É um facto. Este clip tem, a melhor meia dezena de segundos da história dos videoclips. Mesmo. Entre os 22 e os 27. OMFG!!!!

    ResponderEliminar
  2. Ah, e a música também é muito fixe. E eles dão uns concertos bem bacanos!

    ResponderEliminar
  3. E isto é bem bom, pena o gajo ter ficado sem microfone durante a música, no atlântico, logo a abrir o concerto. Espero que no Alive se portem melhor.

    ResponderEliminar
  4. Talvez espreite este ano, mas isto da oferta musical obriga a fazer várias escolhas.

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.