14.2.14

A pior prenda de São Valentim: uma noiva russa


Tenho um amigo que é homem. Como se isso não fosse mal suficiente, descobriu recentemente que divide casa com uma mulher e que parece que não foi engano, foi mesmo uma decisão que tomaram de comum acordo apesar de, por vezes, ele não ter bem a certeza sobre o que se passou.

Ora esse meu amigo, que é homem e divide casa com uma mulher, tem uma doença muito comum entre homens do seu género, que é a falasmuitoquandoatuamulhernãoestáporpertomasjásesabequeméquemandaláemcasaite. Portanto, quando o dia dos Namorados se aproxima, ele diz que é tudo uma tanga, que os americanos inventaram tudo para estimular o consumismo das massas e depois vai comprar uma prenda. É, por norma, um urso e refiro-me ao meu amigo e não à prenda.

Liga-me hoje de manhã muito aflito e começa a desbobinar “Epá tu não sabes o que me aconteceu” e eu resolvi avançar logo com um insight poderoso “Pois não, não sei”. E ele “Epá, estás a ver a depilação a laser?” e eu “Daqui não, mas se esticar da janela consigo ver uma padaria e sei que ao lado há uma clínica disso”. E ele “Não é nada disso, quis surpreender a miúda e andei a ver uma cena de depilação a laser, uns aparelhos nuns sites russos que são uma cena muita moderna e que achei que ela ia gostar...” e eu “Claro rapaz, nada deixa uma mulher mais satisfeita do que relembrar a sua relação com pelos”.

Senti pânico do outro lado “O problema não foi isso, o problema é que os sites eram todos em russo e...ehhhrr...acho que fiz...ehhhr confusão...com outros sites que tinham por ehhhr...por engano em bookmark e a compra ehhhrr..não correu bem”.
“Não me digas que não fizeste um MBNet como te disse e usaste a porra do cartão de crédito...”
“Fiz, mas...”
“Mas o quê?”
“Ehhhr...a encomenda chegou hoje e não é um aparelho de depilação laser...”
“Então é o quê, uma sandes de caviar?”
“Não man, é uma noiva russa”
“Uma noiva russa, isso é código para alguma merda?”
“NÃO, NÃO É, tenho a porra duma Irina sentada ali na sala e quando alguém chegar a casa e vir esta rica prenda estou bem capaz de ser atirado pela janela.”
“Mas como é que isso aconteceu?”

Ele explicou então que, por brincadeira, tinha estado a ver quanto é que custava mandar vir uma noiva russa na Internet, mas das verdadeiras e não daquelas em segunda mão do Uzbequistão. Como na Amazon não havia, teve de ir a um site russo da especialidade e iniciou um processo de pagamento “só por piada”. Entretanto lembrou-se e começou a ver dos aparelhos de depilação a laser e viu uma boa oportunidade ou pelo menos o que parecia ser uma boa oportunidade, já que ele não percebe nada de russo. Abriu novo processo de pagamento e, pelo meio, deve ter confundido formulários.
Hoje de manhã, bateu-lhe o carteiro à porta com uma encomenda. Ficou contente, nunca pensou que chegasse a tempo. Abriu a porta e ficou apavorado, nunca pensou que existissem encomendas com 1,80m sem saltos altos e de olhos verdes.
Enrolada em papel com bolhinhas, que obviamente ela já tinha rebentado pelo caminho, já que a viagem entre Novosibirksk e Lisboa ainda é longa e aborrecida, vinha não um aparelho revolucionário de depilação a laser, mas sim uma jovem russa de 23 anos, a Irina.

Ainda a pensar como iria sair dessa embrulhada o meu amigo desembrulhou-a. Ela riu-se e ele também, mas de pânico.

“E pronto, tenho passado a manhã nisto” choramingava ele “Perguntei-lhe se falava português, ela disse-me num inglês da Sibéria que isso é um update que tenho de comprar no site. Perguntei-lhe pela garantia e ela mostrou-me um certificado de fertilidade e a foto de dois putos, o Ivan e o Kasimir, que devem ser os filhos, mas não vinham na caixa que eu verifiquei. Estou a ligar para o número do call center que vinha no pacote, quer dizer, na caixa e estou há perto de meia hora a ouvir a música do Tetris quando aparecia o c”%!ão do cossaco. Achas que vou pagar muito?”
“Naaaaaaa, quase nada aposto” (minto bem ao telefone porque faço uma voz esquisita muito natural)
“Pois e a Irina está ali sentada, só se ri e eu acho que estes tipos das noivas russas não fazem devoluções. O que é que eu faço?”
“A tipa tem cabedal?”
“Não...trazia só um vestido simples e uma mala daquelas tipo bagagem de mão”
“Não é isso urso, é gira, vistosa?”
“Ahhhh, epá é, com uns retoques, escondendo ali aquele dente de ouro à frente...”
“Então estás safo.”
“Como meu? Quando a minha miúda chegar a casa, quem vai parar à Sibéria sou eu e é logo na secção de congelados.”
“Fácil, põe a Irina no OLX”
“Como assim?”
“Faz um anúncio e siga.”
“Achas que resulta? Já a desembrulhei e tudo...”
“Eles vendem tudo meu, outro dia até uma peruca usada e umas fraldas “como novas” vi à venda.”
“Então mas achas que vai dar tempo?”
“Não vês os anúncios, pões no OLX e as cenas transformam-se logo em moedas.”
“Pois, se calhar...e quanto é que peço?”
“Epá, não peças nada, diz que aceitas trocas, com sorte ainda te vem parar às mãos um aparelho de depilação ou então daquelas carteiras que quando se abre ouve-se a música da Lambada”.
“Ok, obrigadão meu, és o maior. Vou fazer o anúncio”
“Isso e já agora põe no Custo Justo e numa cena de trocas que há no Facebook. Nunca se sabe...”
“Vou já tratar disso”.

Desligou e eu senti-me feliz e triste ao mesmo tempo. Feliz por ajudar um amigo e triste por saber que a Irina se arrisca a ir parar a São Fernando da Bemposta, na segunda casa de um qualquer dono de stand de tractores que lhe promete amor à segunda, porrada às terças e quintas e o resto depende dos resultados do Porto.

Mas São Valentim é assim, envia setas tipo roleta russa e nunca se sabe quem acaba feito em espetada.

12 comentários:

  1. Genial. Não se me oferece dizer mais nada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem é preciso oferecer mais nada. Para prenda chega a Irina :)

      Eliminar
  2. Isto é a gozar, não é? ahahah

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A vantagem disto ser um blog é que podemos perfeitamente dar margem de manobra ao conceito de "realidade".

      Eliminar
  3. és louco! tu não existes?! ...out of the box

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por ordem:

      1 - Legalmente não
      2 - Existo sim senhor
      3 - A Irina também saiu da box e a coisa acabou por não correr assim tão bem...

      Eliminar
  4. Aí caramba! É que já chorei a rir, juro que me vieram as lágrimas aos olhos. Mauvais Mak, no seu melhor.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Antes chorar por estes motivos numa sexta à noite, do que por ter participado num jantar à luz das velas em que, devido a uma corrente de ar, a chama pegou fogo aos cortinados.

      Mas isto sou eu, que gosto de criar cenários criativos que envolvam os visitantes deste espaço.

      Eliminar
  5. ele que lhe meta um laço e que diga à namorada que não vai ter mais que lavar loiça, passar a ferro e limpar a casa até ao resto dos seus dias.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A senhora romena que ele já tem para esse efeito não ia gostar. Aliás, a senhora romena reza a lenda que foi interrogadora oficial na polícia política da Roménia, mas não há como ela a deixar a casa com aquele cheirinho bom de "frescura da montanha" e toalhas dobradas em V.

      Eliminar
  6. Tão bom, fez-me lembrar certos textos do Tolan.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Atenção, essa referência a um extremoso pai de família pode ser insultuosa para o mesmo :)

      Eliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.