19.12.13

Receita para bombas emocionais l


Pegue em pessoas (não há necessidade de procurar pessoas equilibradas, até porque são sempre mais difíceis de encontrar, tente o que aparentem ser “pessoas normais”)

Faça uma marinada de espírito natalício e junte-lhe pitadas de espírito anti-natalício para criar uma mistura de atitudes que sirvam para todos os gostos.

Adicione chuva molha-tolos, com algumas bátegas de maior intensidade, estilo encharca-parvos.

Conjugue a chuva, com o trânsito matinal, com o fim do mês a aproximar-se e, se for apreciador de coisas picantes, tempere com greve do Metro.

Misture tudo nas ruas de Lisboa e em menos de meia hora vai obter resultados – Disponha formas para aconchegar a receita em diversos formatos, desde a divertida picardia no semáforo, ao desacato à entrada do autocarro, sem esquecer o sempre saboroso confronto de bicicletas e peões, isto para os mais modernos. Se preferir, adicione falta de civismo nos passeios, grumos de gente que usa chapéus de chuva como sabres e desentendimentos entre casais em cama de telemóvel.

Divirta-se ou desespere, consoante a sua disposição.

4 comentários:

  1. e a quantidade de acidentes que eu vi hoje... terrível.

    ResponderEliminar
  2. Do que me safei hoje.

    R.

    ResponderEliminar
  3. Pronto. Afinal não sou só eu que reparo que em Lisboa se vêm imensos casais (futuros ex-casais, pelo que dá a entender) a discutir ao telemóvel. Até já ouvi coisas do género "Ó 'mor, tu devias ser preso, filho da p*ta!" (em altos berros).

    ResponderEliminar
  4. Serve-se frio ou quente? É que eu com chuva recuso-me a qualquer picardia, só para não ter de correr o risco de estar ali meia hora à chuva a preencher uma declaração amigável.

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.