13.12.13

Ir jantar fora sozinho - crime ou castigo?

Há coisas que para algumas pessoas têm uma certa carga social negativa quando feitas a solo, como por exemplo ir ao cinema, à praia ou jantar a um restaurante.

A meu ver, traço geral tratam-se de convenções "informais" com as quais podemos ou não concordar, até porque não existe nenhuma regra que nos diga que isto não se deve fazer. Dependerá sempre muito de como nos sentimos ao fazê-lo. Por vezes gosto de ir ao cinema sozinho, não é algo que faça com frequência, mas não tenho qualquer problema nisso. Tenho uma amiga que se sentia constrangida perante a noção de ir à praia sozinha, mas agora é algo que gosta de fazer periodicamente, quer quando não quer ficar refém da vontade e das combinações de outras pessoas, quer quando quer tirar um dia de Verão só para si.

Mas, e ir jantar fora sozinho?

Confesso que ir jantar fora sozinho é algo que ainda me faz uma certa confusão e problema é provavelmente meu. Jantar fora é um conceito que no meu livro implica uma componente social forte, quer seja a dois ou a dez. Sozinho, para mim, não é "ir jantar fora" é "comer sem ser em casa", o que em termos sociais não é a mesma coisa.

No fim de semana passado, sábado mais precisamente, tinha um jantar em casa e optei pelo registo take away. Como ainda era alguma comida tive que esperar um pouco no restaurante e, apesar de ainda serem apenas oito e picos, o espaço já estava cheio - casais, grupos de amigos, uma ou outra família e um gajo. O gajo destacava-se não por ser um gajo, mas por ser um gajo sozinho, sem nenhum indício de doença mental, mau aspecto ou de "ser de fora". Era apenas um gajo normal, cuja normalidade estava a ser posta em causa por mim (e possivelmente por mais umas quantas pessoas na sala) por estar a jantar sozinho num restaurante. A caminho da saída, já com saco de comida na mão, passei por ele e reparei que ao lado do seu prato, tinha o seu smartphone, onde alternava garfadas com jogadas de Candy Crush.

E lá fui eu, a pensar se acabava de ver algo perfeitamente normal para ele e estranho para os outros ou se a sensação de solidão ainda é algo que se pode espalhar tipo gripe. Não sei se ele teria milhentas razões válidas para estar ali num sábado à noite a jantar sozinho. Sei apenas que muito provavelmente quase toda a gente (eu incluído) preferiu pensar em razões negativas para ele o estar a fazer.

8 comentários:

  1. é terrível. a única coisa que detesto fazer sozinha. normalmente leio, enquanto como (o que parece ainda pior). é que nunca sei para onde olhar, quando como sozinha. ao almoço, normalmente sozinha, opto por escolher um lugar virado para a parede. é estranho. é como dizes, comer fora, não é só comer, é especialmente socializar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem, o almoço eu não considero tão constrangedor, por causa das condicionantes de tempo/local/companhia. Lembro-me de ter trabalhado num sítio em que, quando não combinava almoço com alguém de fora preferia de longe almoçar sozinho, sendo que de Verão sou apologista regular da versão piquenique ao ar livre, seja a solo ou acompanhado.

      Eliminar
  2. Por acaso, almoçar e jantar sozinha nunca foi coisa que me incomodou. Esta situação incomoda mais os outros que me perguntam sempre: porque não me ligaste?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É como eu digo, o problema é na cabeça de cada um. No caso de jantar fora, acho que a pressão social/desconforto é sempre maior, mas ainda bem que no teu caso isso não existe ou não é algo com impacto :)

      Eliminar
  3. ir ao cinema sozinha com o cartão zon é que é. pago o meu bilhete e tenho direito a pipocas e bebida. e não há nada melhor do que não ter que dividir as pipocas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso é uma promoção inteligente, tanto dá para dois bilhetes pelo preço de um, como para pipocas egoístas, que sabem sempre bem.

      Eliminar
  4. Até me considero uma pessoa social q.b. mas dou imenso valor aos meus momentos de solidão. Vou várias vezes ao cinema sozinho e isso não me incomoda. Passeio várias vezes sozinho e isso não me incomoda. Quanto ao jantar fora sozinho, quando me acontece costuma ser mais algo de fast-food por isso a situação não é tão socialmente constrangedora mas acontece que, se calhar como o senhor que viste, vivo sozinho. Já é norma jantar sozinho. E nem todos os dias me apetece fazer comida em casa. E nem todos os dias me apetece estar obrigado a interacções sociais e ter horários que não sejam exclusivamente meus.
    O senhor podia estar só a ter um encontro consigo próprio... e se calhar isso até faz falta a muita gente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas eu acho que é saudável uma pessoa saber estar sozinha e apreciar a sua própria companhia. Eu próprio faço isso não raras vezes.

      Aliás, muitas das pessoas que não sabem/conseguem estar sozinhas acabam por ter muitos problemas por isso mesmo, quer na sua vida quotidiana, quer nas várias relações que vão desenvolvendo.

      Quanto a jantar sozinho, obviamente isso é uma "normalidade" para quem viva sozinho, mas é uma espécie de julgamento/avaliação a que se/te expõe(s) quem opta por ir jantar fora a um restaurante.
      E eu não acho que a pessoa se tenha que sentir mal ou que a situação tem alguma coisa de errado, simplesmente exige um estofo ou uma tranquilidade (prefiro isso a um conformismo) de que nem todos dispõem.

      Eliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.