14.12.13

Cegos pelas luzes de Natal

Correm pelas ruas, correm pelas lojas, correm de sacos na mão, correm de braço dado, correm sentindo a magia no ar e a bondade no coração.
Correm a fazer a árvore, correm a fazer embrulhos e a suspirar nas montras que lhes embrulham o espírito.

Correm para o meio da estrada, sem preocupações com o que vem a seguir.
Atropelados pelo espírito de Natal, agradecem o embate.
É melhor ser feliz por decreto de época do que afogado em vagas do mundo real.
Correm sem saber para onde, porque o passado já está fechado e o futuro não parece ter caminho.

Sobra o presente, ou melhor, os presentes.
É melhor correr para ir comprá-los.
Fica só mais um pouco, deixa para a véspera que ainda falta muito tempo.
Vamos correr só mais um pouco até lá acima.
Dali podemos abrir bem os olhos e ficar cegos pelas luzes de Natal.
A partir daí, vai ser mais fácil sorrir.


Sem comentários:

Enviar um comentário

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.