21.11.13

Selfie e o Hall of Fame das palavras da moda


Para a malta dos dicionários Oxford, “Selfie” é a palavra do ano em 2013. Faz sentido, o pessoal anglófono sempre foi bom a sintetizar e por cá tenho a certeza que a expressão será bem adoptada ou adaptada, já que sendo assim continuarmos a chamar à coisa “aquelas auto-fotos que as pessoas tiram a si mesmas por vezes em situações ridículas, mas que são publicadas cedo demais antes de terem tempo de se arrepender” deixa de fazer muito sentido.



Mas a coisa fez-me pensar um pouco nos semideuses do nosso léxico, aquelas palavras que surgiram do nada, ganharam relevo e uso corrente durante uns anos e depois tiveram a má sorte de cair em desuso ou, pura e simplesmente, terem sido substituídas por novos ídolos.

Acho até que devia haver um Hall of Fame, tal como em muitos desportos americanos, em que todos os anos é eleito um grupo de candidatos de entre os quais alguns são escolhidos para o Hall of Fame.

Sim, brincar com palavras é um divertimento ligeiramente geek
Assim sendo, deixo aqui pendentes cinco palavras/expressões que, para mim, são concorrentes ao Hall of Fame, por já praticamente se terem retirado de circulação e terem o mérito de terem sido usadas a torto e a direito. Se tiverem alguma sugestão adicional eu amplio a lista, mas atenção que linguagem técnico-profissional não conta, senão isto era uma selvajaria.




Candidatos ao Hall of Fame de Palavras e Expressões que em tempos deram show



Malaico (como em “aquilo era muita malaico”, ou seja, algo muito esquisito/maluco)



Prá Frentex (como em algo moderno)



Escanifobético / Escaganifobético (como em algo estranho ou de estrutura esquisita)



Tótil (como em suplemento que reforça o fixe que algo é)



Nóia (como em aborrecimento, chatice, cena marada, incómodo)







Cenas que estão em voga mas deviam levar uma cura de emagrecimento de utilização:



Gourmet (como em querer passar qualidade a qualquer coisa, atribuindo-lhe valor acrescentado e cariz refinado, só de nome)


Vintage (maneira fixe e cool de dizer que algo velho tem valor, mesmo que seja lixo)

"A sério meu, vamos abrir um negócio espectacular de cenas vintage que são gourmet..."

9 comentários:

  1. "É lecas!" (Eu sei que é uma expressão e não uma palavra, mas acho que também podia pertencer ao hall of fame)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tem potencial, mas não sei se ainda não está em uso corrente (se bem que em sectores etários mais avançados para o toque cool...)

      Eliminar
  2. Respostas
    1. São fortes, mas ainda no activo.

      Buereré é um primo que talvez já esteja mais afastado...

      Eliminar
  3. Buéda nice, bué ?

    ResponderEliminar
  4. Também relembro com alguma saudade o "bute". Mas esses exemplos caem todos no campo da gíria, que é por natureza efémera (ou geracional) - felizmente.

    O drama do Vintage e Gourmet foi terem sido apropriadas pelo marketing (e a indústria do lifestyle, seja lá o que isso for) para vender "estilo" e "sabores" a pessoas 'trendy' (também há o fashion que já não é assim tão fashion, felizmente).

    Tenho pena, sempre gostei muito da palavra vintage, sobretudo porque me lembra bom vinho. :)

    Também gosto muito de Selfie, e vá lá que ganhou a Twerk.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olha que o "bute" ainda vive :) e sim, a maior parte da gíria tende a renovar-se e o calão evolui.

      O sonho de qualquer macaco do marketing (e da criatividade publicitária) é criar um headline/assinatura que salte o campo da área para o denominador comum da linguagem. Às vezes conseguem de forma efémera outras vezes mais duradoura.

      No caso do drama do Vintage e Gourmet é um descalabro tipo avalanche... Embora no campo do gozo meio desconhecido (sem rentabilidade é certo) hipster é outra que anda aí à solta sem que se saiba bem para quê....

      Eliminar
    2. Ainda assim é um plano diferente da headline, muito mais abrangente, daí estar mais ligado ao marketing, ou às RP, etc. Acabam por ser movimentos 'transmedia", como o "fitness", por exemplo.

      "Hipster" como palavra, movimento, ou subcultura, tem uma história muito interessante, e mesmo a forma como a palavra oscila entre o insulto, a categoria ou a linha de roupa, é muito interessante. Mas isso daria para muitos outros posts.:)

      Eliminar
    3. "Running", eu que corria agora sei que pratico running ;)

      Eliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.