15.11.13

Fora de jogo à sueca


Gosto bastante do Ibrahimovic. É uma espécie de Cantona dos tempos modernos, com look de ninja, cabedal de porteiro de discoteca e feitio latino. Aliás, se fosse possível trocava o Hugo Almeida por ele na boa, acho que à distância se confundem, tipo se forem vistos a partir do espaço.



Mas, ainda que os suecos até metessem a sua equipa feminina de bronzeamento ao barulho para minar o meu apoio (nesse filme icónico em que Roger Moore faz de gay a sério e Cuba Gooding Jr. faz de gay a brincar), continuo a fazer figas para que os aviemos hoje e fiquemos mais perto de ir ao Mundial. Não pelos supostos 400 e tal milhões de Euros que o país pode beneficiar pela sua presença no Brasil, isso são trocos no nosso abismo, mas pelo facto de precisarmos de mais lenha para queimar e de o fel não ser o mesmo quando a desilusão surge numa fase demasiado inicial. Precisamos de sonhar mais um bocadinho, para que cair da cama tenha o devido impacto.

Entretanto, uma vez que me fizeram abdicar do meu convite para o jogo a troco de mísera diversão num evento estilo festivo-profissional pelo menos até à hora do jogo posso rever e apreciar aquele que devia ser o golo do ano e mais uns quantos.



Quanto a ti, se não gostas da Selecção, estás no teu direito. Eu também não gosto de iscas.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.