18.11.13

As passwords depois da vida ou a vida depois das passwords?


A nossa vida, especialmente o nosso eu digital, é cada vez mais um acumular de passwords e “logins”. Temos emails, passwords das Finanças, códigos alfanuméricos de Internet banking, paypal, passwords de redes sociais, contas em clouds e a tendência é para aumentar.



Somos muito ciosos da nossa privacidade, são-nos recomendadas diversas medidas para reforço da nossa segurança e é comum que, em nome da privacidade, muitas vezes nem as pessoas que connosco vivem saibam sequer metade das nossas passwords.



E quando desaparecemos?



O mundo está a mudar e, como por exemplo neste interessante artigo, expressões como testamento digital ou herança de social media são coisas que vão começar cada vez mais a entrar na nossa realidade. Já existem até um conjunto de ferramentas a pensar nessas situações e muitas marcas que actuam neste campo da nossa vida começam a ter políticas muito precisas nessa matéria.



Mais do que a parte cinzentona de desactivar contas e encerrar perfis, será que receber um blog de herança será um dia algo comum e um gesto bonito? E um acervo fotográfico digital deixado em legado, pode ser uma nova forma de perpetuar boas memórias?



Será que o eu digital que vive para além do eu real é apenas uma nova forma de assombração ou será uma nova maneira de ajudar a diluir o negrume com que naturalmente carregamos estes momentos?















PS - Perdoem-me os que acharem a temática demasiado tétrica mas, nos últimos dias, tem sido difícil não deixar a mente pairar um pouco sobre esses campos. Melhores dias e melhores escritas virão.

7 comentários:

  1. Se alguém se queixar então não anda bem da cabeça. Post bem bem bacano Mak...

    ResponderEliminar
  2. Já pensei algumas vezes neste tema. Não tomei uma decisão, apesar de ter adicionado a minha irmã ao Blogger, para o caso de.

    Um abraço. Ânimo.

    ResponderEliminar
  3. Esta vida digital...dá que pensar!
    Estes campos...fazem parte da nossa vida. Temos que escrever e falar deles...

    ResponderEliminar
  4. Também já tinha pensado nisto umas poucas de vezes. Primeiro por causa dos facebooks da vida mas, desde que inaugurei o pardieiro, ainda mais. Se virar a bopneca um dia destas, quem dirá à malta toda que a ausência de posts se deve à morte do artista!??

    Vou fazer o mesmo que o POC e incumbir esta missão à minha irmã. Vai adorar que lhe vá com esta conversa.

    Grande abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. :) Epá...é estranho e chato. Mas prefiro ser precavido. Aliás, já pensei em contas do banco e etc..

      Eliminar
  5. Causa-me uma certa estranheza/tristeza o perfil do facebook de uma colega de trabalho. Amigos e familiares continuam a deixar-lhe mensagens. Penso que será uma forma de se reconfortarem, não sei. A verdade é que eu também não consigo remover o perfil dela da minha lista de amigos.

    ResponderEliminar
  6. É normal pensarmos nisso. Eu própria já deixei dicas lá no blog quanto à minha password. Quem me conhecer bem tem obrigação de a descobrir ;)

    PS: mas estás bem, certo?

    pippacoco.blogspot.pt

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.