18.10.13

Open spaces, close secrets


Permitam-me mais uma referência ao mundo do trabalho, até porque o fim de semana prevê-se que seja de chuva.

A coisa mais bonita dos open spaces, são os espaços informais que surgem para confidências, combinações, desabafos e telefonemas à socapa.

Assim surgem os cantinhos do corredor que se transformam em cabines telefónicas, as máquinas do café que também tiram rumores com pouco açúcar e as casas de banho onde se atendem muito mais do que as necessidades fisiológicas.

Até hoje só trabalhei em open space, com maior ou menor grau de open, e em que a cena do space às vezes tem mais a ver com os ETs que lá navegam. O que é que todos tinham em comum? Toda a gente criava os seus spots e as suas tocas para fazer em privado o que o open não deixava.
 

E para quando o open space que já tenha isso previsto?

2 comentários:

  1. Nunca trabalhei num open space, mas suspeito que se quem manda percebesse o tempo que se perde com coscuvilhices investia numas placas de esferovite para separar o pessoal.

    ResponderEliminar
  2. Os open space estimulam o consumo do tabaco (até os que dispensam inalações de fumos, acabam por usar a pausa para colocar as outras comunicações telefonemas em dia).

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.