8.10.13

O passeio dos não alegres

As greves dos transportes comprovam-me que há gente que, de tanto andar de cu tremido, já não sabe andar num passeio como pessoas normais. Por exemplo:

Fazem zigzags à bruta.
Param assim do nada, como se fossem os únicos naquele passeio.
Vão ao telemóvel e começam a descair para o lado do mesmo.
Esquecem-se que passar um vermelho de carro é um bocadinho mais rápido que fazê-lo a pé.
Abrem os braços tipo capoeira sem pensar que vão outras pessoas ao lado.
Senhoras que agarram as malas como se estivessem na Brandoa e não na Avenida da República.
Malta que bufa tipo ar condicionado, sem se perceber se é cansaço ou se é enfado.
Cortam nas curvas como se estivessem numa corrida de moto GP.


É só uma greve minha gente, não é o fim do mundo, amanhã o Metro está de volta. E podemos todos voltar a usar óculos escuros debaixo da terra, a encostar o nariz ao sovaco do senhor do lado e descobrir que aquela jovem com ar tão composto já anda outra vez a ler Nicholas Sparks, isto para não falar do ninho de amor em que se transforma a carruagem quando aquele casalinho de estudantes aproveita ao máximo o tempo que dista entre duas paragens.



PS - Continuamos a trabalhar na melhoria de nome de blogs aqui por baixo. Melhoria de conteúdos, como já se viu, é que está quieto ó mau (gosto muito desta expressão).

1 comentário:

  1. Ufa, é bom saber que existe mais alguém com a mesma opinião. :))

    Como sou uma daquelas pessoas que faz diariamente Entrecampos - Campo Grande (ida e volta) a pé, nestes dias comecei a adoptar várias espécies de jogos mentais para me entrenter no caminho desde ao genéro "Passeio de obstáculos - como sobreviver!" ao "Quantas pessoas consegues contar que não sabem circular num passeio?" (neste último até podes só querer contar um determinado tipo de pessoa ehehe)

    Bom(ns) passeio(s) para o resto do dia :)
    Ana

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.