10.9.13

Praia e dilemas ocupacionais



Isto não se trata de queixume, nem sequer de enxovalhanço perante quem já esteja a alapar com os costados no trabalho, no regresso às aulas ou outra qualquer ocupação que não implique férias e regabofe.

É apenas uma dúvida legítima: o que há de novo para fazer na praia?

Parecendo que não, já são muitos anos a caminhar pelas areias, a mergulhar nas águas, a deixar que o sol nos beije, a ler livros, a dar por mim mais deitado na areia do que na toalha e a gostar disso, a adormecer com um ventinho por perto, a saborear água que ainda não se transformou em chá, a jogar cartas e raquetes, a deixar passar o tempo pelo meio das conversas, a comer coisas que só na praia é que sabem melhor do que em qualquer outro lugar, ver cenas e ouvir conversas alheias que se tornam nossas por proximidade e que são a ficção mais realista que se pode encontrar e por aí em diante.

Mais recentemente, redescobri o prazer de estar na praia e desligar o telemóvel, como se ainda se estivesse no tempo em que as pessoas não estavam mais tempo agarradas ao dispositivo do que a aproveitar o dia. Parece difícil, mas se o cenário e a companhia não chegam, então se calhar devíamos estar noutro lado.

Ontem vi uma resma de gente a fazer kitesurf. Por dois segundos pensei – olha aí está algo de novo para fazer. Ao terceiro segundo pensei de novo – isto não é para ti, a tua agenda e a tua lógica não te permitem mais hobbies alucinantes.

E portanto, resta-me continuar a descobrir coisas mundanas para se fazer com areia nos pés e as ondas nos olhos.

4 comentários:

  1. Petanca, castelos, pontes e corridas de caricas. Claro que jogar às caricas implica construir uma pista cheia de curvas e obstáculos, para dificultar a coisa. Também me lembro de fazer corridas de bolas de areia, para ver qual chegava mais longe sem se despedaçar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É bonito, mas talvez demasiado didáctico para um marmanjão deste arcaboiço. Descobri que atirar areia para os olhos, literalmente em vez de metaforicamente, também dá entretenimento para horas.

      Eliminar
  2. "Descobri que atirar areia para os olhos, literalmente em vez de metaforicamente, também dá entretenimento para horas." Bonito cenário eheh :)
    Scheimit

    ResponderEliminar
  3. Quando estiver bom, experimentamos kitesurf. Ou talvez seja melhor estar quieto. Eu quero é voltar a correr e deixar para trás gajos como tu. E quenianos. (vocês não são a mesma pessoa...são?)

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.