5.9.13

Os computadores ficam mal às mulheres



Não se trata aqui de um qualquer acesso de neanderthalismo, dizendo que menos computador e mais tachos é que era ou implicando que o género masculino está a perder terreno para o género informático.

Na realidade, metaforicamente, o computador fica lindamente a qualquer senhora que dele saiba tirar proveito como acessório, seja profissional ou pessoalmente, produzindo conteúdos, como instrumento de lazer ou dando cartas nas redes sociais. No entanto, ainda metaforicamente, como acessório também se podem dar grandes desastres, mas isso parece-me uma situação mais unissexo.

Os computadores normalmente ficam mal às mulheres quando as vejo a acartar com eles às costas, de casa para o emprego ou vice-versa, como se fosse uma bola e correntes que levam presas. Pelo que vejo, existem três soluções mais usuais e nenhuma delas é ideal:

A pasta/mala/cena corporate a tiracolo – É uma cena de gajo que as mulheres vão usando, sendo que a maior parte são calhaus com alças e uma tira. Mesmo procurando é difícil encontrar online bons exemplos de malas do género a pensar em mulheres e, ver exemplos disso na rua é uma raridade. Parece-me sempre que ou lhe deram aquilo no trabalho ou sacou o artigo em questão ao macho mais próximo.

A mochila-que-parece-que-sou-astronauta-ou-tenho-fetiche-com-o-regresso-às aulas – Apesar de estruturalmente ser mais correcta do ponto de vista de postura, não é elogiosa para as senhoras, do ponto de vista estético, essencialmente porque parecem saídas do mundo da escolinha e com pouco ou nada de feminino. Ainda hoje vi uma mulher, não muito alta, cuja mochila de computador lhe ia quase da cintura até ao topo da cabeça e que andava direita, mas quase a cair para trás, com o peso. Era meio cómico, meio triste.

O trolley, o novo saco de marca para a marmita profissional – Antes da marmita ser uma realidade abrangente no panorama de quem traz almoço para o trabalho, não existiam as marmitas cool e os modelos funcionais que hoje abundam. Portanto, muitas vezes eram sacos de marcas de roupa (normalmente com algum requinte) que eram usados pelas senhoras para levar o seu almoço. O trolley é o equivalente, mas com o computador a servir de marmita, já que quando vemos uma mulher de trolley a caminho do trabalho podemos pensar que vai viajar, que a sua função a obriga a deslocações e, afinal, é só pelo computador. Ainda assim, é capaz de ser a minha opção favorita, já que apenas contribui para o imaginário, sem desfavorecer tanto a estética feminina.

É possível que existam soluções porreiras ou evoluções dentro destas categorias, mas não é isso que se encontra nas ruas, de forma comum. Os tablets facilitam muita coisa, mas os tablets ainda não são também a realidade da mulher que alomba com o computador e, se há alguma coisa a estranhar é não haver uma solução que combine moda, utilidade e um lado prático na matéria.

Mas isto sou eu, um gajo que percebe tanto de moda que está a ver se tem uns ténis que disfarcem o suficiente para ir a um casamento e mostrar cenário...

12 comentários:

  1. Tens toda a razão. As malas para computador giras são caríssimas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Devem ser, de facto não vejo muitas.

      Ou melhor, vejo perto de nenhuma.

      Eliminar
  2. Eu uso um trolley, quando preciso de levar o computador. E fiquei bastante contente por saber que estou na tua opção favorita.

    Quanto ao saco de marca para levar a marmita, é tão verdade... Todas as mulheres escolhem o melhor saco, mas pensei que os homens não reparavam nisso. É um pormenor de requinte. ;)

    pippacoco.blogspot.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Face ao que vejo, é porventura a solução mais adequada a não fazer de uma mulher alguém eu leva uma correia atada às costas ou uma mochila dos trabalhos forçados.

      Quanto ao saco de marca para a marmita...são técnicas de observação social ;)

      Eliminar
  3. Já há muitas malas que parecem normalíssimas e depois têm uma parte amovível, em esponja, para pôr o computador caso necessário.
    Ficam femininas e nem se percebe o que vai lá dentro :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acredito, mas é mesmo só do meu ponto de vista. Trabalhando numa zona empresarial, a grande maioria não favorece as mulheres que as transportam.

      Se forem boas (as malas) ao ponto de não se notar que levam um computador, será de facto o ideal :)

      Eliminar
  4. Lá está o que eu digo: não é o computador que nos fica mal, é o trabalho :/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se juntares os dois da pior maneira, fica horrível...

      Eliminar
  5. hahaha agora regredi uns 15 anos!
    Se eu tivesse uma foto dessa época partilhava-a só para ilustrar não só o que dizes, mas também que já estivemos bem pior.
    Imaginem-me em pleno Inverno, a ir para a faculdade de transportes, munida de mala, de portátil (e como eram bem maiores e pesados!) enfiado numa daquelas pastas pretas enormes (não existiam muitas mais opções em acessórios), uma segunda pasta se fosse dia de ir carregada com livros e mais livros, e ainda casacão, cachecol e chapéu de chuva. Um mimo... :P


    (coisasdosintas)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, há progressos, mas muitas dessas malas que ainda hoje existem parecem ser efectivamente as mesmas dessa altura...

      Eliminar
  6. Concordo plenamente. Assim como não fica esteticamente bem um homem com marmita, por muito masculina e piriri que seja a dita.
    Scheimit

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se for estilo Camping Gaz + gajo a caminho do emprego, dá outro nível e poderá até causar furor.

      Isto se o emprego não for vender cenas na praia.

      Eliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.