13.7.13

Porque é que hoje não estou em mode Alive?



Porque, sorte das sortes, há 20 anos era eu uma criancinha (ainda no termo legal da palavra e não no mental), quando a minha irmã me estendeu a mão e me levou ao meu primeiro concerto.

E portanto, tive a oportunidade de ver algo muito parecido com isto:



Ainda bem que existe um registo profissional deste gabarito, com o toque do Corbijn, já que em 1993 um tipo que levasse uma câmara para Alvalade não ia conseguir mais do que este esforço bem intencionado. Por isso guardo na minha memória um concerto inesquecível com a banda no auge, Gahan na fase rocker-junkie-pintas e todos os elementos necessários.

Continuo a ser adepto de DM, oiço regularmente, mas nunca acreditei que 2009 ou hoje conseguissem superar a minha memória de uma noite perfeita destes senhores.

No entanto, espero que para quem vá, seja uma noite que vos fique também guardada para sempre. Eu, nesse capítulo, já estou servido.

5 comentários:

  1. Comigo funciona o 101 da digressão americana de 1989. Coisa mailinda.

    ResponderEliminar
  2. Custava 3 contos! Songs of Faith and Devotion. Um dos melhores álbuns de sempre. Ainda assim, apesar de existirem noites perfeitas, e já tive umas quantas, porque não assistir a uma grande noite cheia de energia e inovação. Sim, a banda ainda inova...
    Um abraço de quem ontem adorou ver os DM uma vez mais!
    PS: Respeito a opção!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não ponho isso em causa e já aconteceu com outras bandas, que tenho em igual ou maior estima, calhar a vê-las mais do que uma vez em concerto e saber-me bem.

      Neste caso específico, a minha escolha é assim, mas quem vai e tem uma noite em grande está no seu direito e ainda bem que assim é :)

      Eliminar
    2. Claro que sim! Acredita que compreendo a tua opção! :-)

      Eliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.