1.7.13

O dia em que o Cajó deixou o Facebook



Caso não fosse um jovem mitra, Cajó poderia sustentar a sua decisão com estudos que sites como o da Forbes têm vindo a publicar desde 2011. Mas Cajó não lê muitas coisas e até evita emails com poucos bonecos e muitas linhas (“Ganda LOL” diria ele).

Só que isso não altera em nada a sua decisão, hoje é o dia em que ele vai deixar o Facebook. É pena, porque ele até curte o Facebook, se calhar é um bocado como o tio Quim, que lhe dava nem um boss na pinga e depois da operação, kaput na pinga antes que kaput no Quim.

O facto é que o Cajó era sócio para bombar nos comments das babes, para partilhar cenas brutais do “LOLADA Mix”, para postar umas músicas bem bacanas ou, quando se sentia mais sensível, postar uma citação do cenário “Um homem voa, quando o seu espírito não tem amarras”.

O problema é que o Cajó não conseguia continuar a ser amigo dos pais no Facebook. Nem amigo dos amigos dos pais. Para não falar do avô, man, o cota depois de ter comprado um Tsunami no Media Markt estava sempre na net, no Face, a postar rimas, fotos de estátuas lá da terra e daquelas cenas de cadeia da amizade e do sorriso. Se ao menos em vez de Parkinson o cota tivesse uma artrite lixada nas mãos, só uma cena ligeira, para não postar tanto.

Ao princípio, os pais só tinham aberto a conta, para ver a cena e feito o pedido de amizade. E Cajó aceitou, pensando, “epá, eles nem 40 anos têm, nunca há tempo para nada, quanto mais andarem a bombar no Face”. Cajó, como em tantos testes na escola, errou e por muito.

Os pais também conheciam o LOLADA Mix pelos vistos, também curtiam postar fotos bacanas e, pior que tudo, de vez em quando dava-lhes para a nostalgia e começar a postar fotos dele, Cajó, quando era puto. Quando os pais iam jantar fora, começaram a pôr fotos do jantar, quando se chatearam começaram a mandar indirectas muita toscas nas walls, umas vezes com frases, outras com músicas e cenas de filmes. E Cajó não percebia, os pais faziam tanta merda como ele no Face e o pior, é que ele não os podia pôr de castigo.

Cajó pensou que era uma fase e era, só que as fases a seguir não melhoraram. Aquilo era um polvo e Cajó não só já nem postava nada (os filtros eram uma granda seca), como ainda tentava não ver nada do que os pais postavam. Pesquisou para ver outros pais, outros cotas e ia tudo dar ao mesmo, os sacanas tinham ficado com o recreio virtual do pessoal e nem se mancavam que pareciam putos meio fora de prazo.

Falou com amigos que sofriam do mesmo e tomou a decisão. Hoje era o dia em que ia sair do Facebook para sempre. Para onde ia?
Devem ser parvos se pensam que o Cajó ia dizer essa merda a um gajo que tem um blog. Há bueda tempo que os pais curtem essa cena e é por essas outras que o Cajó não lê blogs. Ainda por cima as babes não sacam lá fotos de jeito...

Sem comentários:

Enviar um comentário

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.