17.7.13

Malta da zona de Lisboa, as praias andam f"#%&as connosco




Na linha de Cascais, fartas de rudes banhistas, pseudo tias decrépitas e malta que facilmente se podia deitar na linha do comboio em vez de na areia, as algas resolveram explodir para literal irritação da população a banhos. Resultado, ficas de castigo a suar o cabedal no paredão até aprenderes a não chatear as algas com os teus pedidos incessantes de calor e mais calor. A piada "alga está errado no reino de Carcavelos" ocorre-me, mas não quero atrair esse karma irritante para mim.

Na Costa da Caparica, um barco de pesca resolve discutir com centenas de quilos de cavalas. No calor da discussão mata-as e atira-as borda fora. As cavalas, mortas e sem saber o que fazer, resolvem ir pavonear-se sem grande alento junto à beira mar de várias praias da região, para frustração de rudes banhistas, famílias a fazer “aquelas” férias e malta que tenta encontrar o caminho para a vida fazendo castelos na areia. Alguns veraneantes ponderam levar a grelha para a praia, outros usar pilhas de cavalas para fazer postes de balizas para a futebolada na praia. Alguns senegaleses tentam agora vender óculos escuros com hastes de cavala e chapéus estranhos com cavalas luminosas. O cenário não é bonito, mas o areal faz lembrar os Santos Populares.

Aguardo com expectativa próximos fenómenos na Ericeira e na Comporta. Menos que chocos a esguichar tinta nos olhos de turistas ou centenas de surfistas presos em redes de arrastão e fico desiludido.

1 comentário:

  1. Anda até à Póvoa de Varzim, na areia vês gente a derreter ao sol e na água gente com os ossos congelados, um fenómeno muito mais interessante.

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.