25.7.13

Gremlins vs Mogwai – Um conflito que definiu gerações





Quem viu os filmes dos Gremlins como eu vi, não pode ficar indiferente – aquilo glorifica o triunfo dos panhonhas face aos que resolvem soltar os seus demónios e viver como realmente gostam.



Temos um panhonha humano, filho de um artolas humano que lhe oferece um animal exótico e com propriedades místicas que obrigam a um cuidado e regras especiais. Esse pequeno animal felpudo, o Mogwai, que mais tarde viria a ser completamente expoliado comercialmente com o surgimento de uma cópia manhosa sob o nome Furbies, era um perfeito mariquinhas. Não podia comer depois de x horas, era alérgico a água e por aí em diante, sem esquecer a agravante que gostava muito de cantar...



Quando o panhonha humano não cumpriu as regras que o seu pai lhe transmitiu, o Mogwai ficou doentinho e gerou outros seres, parecidos com ele mas com mais personalidade. Esses seres, em vez de cantarem resolveram tomar decisões e arriscar-se a errar, em vez de viverem no conforto da panhonhice. E assim se transformaram em Gremlins.



Os Gremlins eram espíritos livres, que não se conformavam às regras da sociedade. Não sendo bonitos, não se deixavam desanimar e lutavam por aquilo em que acreditavam, sendo que por vezes acreditavam apenas em lutar. Nem sempre faziam o que era correcto, mas isso só os torna mais humanos, por muito que nos custe.



O resto do filme é uma perseguição velada a estes seres indomáveis, que preferiram morrer a tornar-se animais de estimação, subjugados aos humores humanos. E o Mogwai, sentindo a força da maioria humana rapidamente renegou a sua espécie, para se armar em Rambo e malhar nos resistentes.



O fim dos Gremlins é um tributo à panhonhice e certamente que quem torceu pelo felpudinho Mogwai cantor está agora a afagar o Furby que comprou mais tarde. Shame on you.

5 comentários:

  1. "Espírito livre" ou "livre arbítrio"? O Mogwai é na realidade quem tem o livre arbítrio, pois cabe à sua condição de Mogwai a escolha totipotente de permanecer como é, ou mudar. A condição de Gremlin é irreversível porque um Gremlin já não pode tornar-se Mogwai, restando aos Gremlins usar o dito espírito livre em substituição do livre arbítrio.

    Numa ou noutra forma, ambos evitam a "Bright light!". :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahhh, como eu gosto de uma boa discussão filosófica sobre Gremlins e Mogwais.

      Na primeira parte, estamos de acordo, tudo nasce do Mogwai, embora a decisão dele certamente por aprendizagem já esteja tomada - ele não quer dar origem aos outros seres. Quase sempre é o destino que trata disso por ele.

      No entanto, os Gremlins que nascem do Gizmo (mogwai original) também são Mogwais, só que já têm outra personalidade. E quando comem depois da meia noite, fazem-no deliberadamente, para se tornarem Gremlins, condição da qual já não há retorno.

      Portanto são mais aventureiros ou imprudentes, mas mesmo em forma Mogwai são diferentes do Gizmo. Sempre longe das bright lights de facto :)

      Eliminar
    2. Destino?

      Mogwai is seriou business.

      O nome dado aos Mogwai que decidiram ter bom-coração foi "Os Eternos", provavelmente porque seriam imortais salvo expostos à bright light.

      No primeiro filme aparecem no máximo dois "Eternos", o Gizmo (sem dúvida) e o Earl (o Mogwai que é levado ao professor que lhe recolhe sangue e por isso se torna vingativo).

      Na história, aparentemente as excepções à regra são os "Eternos" que evitaram a destruição da própria espécie adoptando um comportamento regrado: não serem molhados, não comer depois da meia-noite e evitar a luz solar.

      Discordo no que diz respeito a panhonhice perante o estoicismo dos "Eternos". Panhonhas são os Mogwai egoistas que só fazem o que lhes dá na real gana como se não houvesse consequências e, seguem o Stripe (o Mogwai de mohawk) como se não tivessem escolha.

      Na história, os rebeldes são os "Eternos".

      Sobre o destino...*ui ui* isso seria assunto para fazer correr muito tinto (não, não é erro ortográfico) :D

      Eliminar
  2. I had a crush on Stripe and Mohawk... no Gizmos for me... always a thing for bad boys, the history of my life....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. No 2 eu gostava de um que se converteu em electricidade. Houve outro que era transformista, mas não me apelava tanto...

      Eliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.