30.5.13

Sete palmos na terra das ligações impossíveis


Pela originalidade da temática e a riqueza do argumento, esta série tem um lugar na secção gótico-moderna do meu coração.



O genérico, só por si, é um mundo e quem o criou descreve-o bem aqui. Não é fácil retratar a morte e a noção da mesma, de uma forma esteticamente “apelativa” e que, mesmo passando por alguns clichés, seja algo tão harmonioso. Mas, se eu tiver que ir buscar um elemento simbólico que me chame particularmente a atenção, iria pelo momento em que as duas mãos se largam, logo ao início.

E, sem saber porquê, a ligação da imagem inicial que conduz a essa, sempre me fez pensar neste quadro.




O que é o American Gothic tem a ver com a série? Não sei, até hoje a única ligação que encontrei é uma ligeira semelhança entre os pais dos irmãos Fisher e as figuras retratadas. Mas a Mona Lisa também é parecida com uma caixa do Pingo Doce lá ao pé de mim e também ainda não cheguei a conclusão nenhuma em relação a isso.

4 comentários:

  1. uma das melhores séries de sempre. para mim.

    ResponderEliminar
  2. One scene in episode 7 of season 6 of Dexter features an advert for a lawn mower of the Carpenter Gothic house from the original painting which Dexter and his partner stand in front of after committing murder with a pitchfork. Dexter holds the blood dripping pitchfork in the same manner as the original painting.

    wikipédia

    será isto?

    ResponderEliminar
  3. Para além do pai ser a consciência e o reaper, a homossexualidade não se apresentou de modo nenhum subentendida, muito pelo contrário.

    ResponderEliminar
  4. Só conheci a série quando estava a acabar. Arrojada.

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.