23.5.13

O Regresso

Estava sentado em casa e tinha vontade de fazer algo. Forças que não conseguia compreender impeliam-no para começar a escrever mas não tinha nada de relevante para dizer. Ainda assim decidiu-se e avançou. Escreveu estas linhas, esfregou a língua nos dentes com alguma insistência para tentar tirar um resquício do jantar entalado nos incisivos superiores e visível a olho nu, completando o seu comeback. De seguida, carregou onde diz publicar, acendeu um cigarro e admirou o que tinha feito com um diletantismo imberbe que nunca o abandonou, nem durante os tempos mais tenebrosos. Não fazia a mínima ideia do que fazer a seguir.

4 comentários:

  1. eu também guardo o lanche na cavidade dos meus dentes.

    ResponderEliminar
  2. Eu prefiro guardar o diletantismo, dizem que é bom contra as cáries.

    ResponderEliminar
  3. Não sei quem seja esse tal de erre ene cê mas espero que seja ainda mais louco que o marvellous Mak.

    ResponderEliminar
  4. Estranhamente, noto que, com o avançar da idade, se torna mais frequente ficar com resquícios de comida entalados nos dentes (não lhe parece?). Esta constatação leva-me a crêr que, com a idade, se produz alguma alteração ao nível do esmalte dentário. Ainda não percebi qual. Mas é uma matéria a que tenho aturadas meditações.

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.