15.5.13

A ascensão dos homens com sentimentos

-->

Escrevo-vos com os olhos cheios de lágrimas, pois que de outra forma poderia eu ilustrar-vos o meu cariz sensível? Infelizmente, o suporte digital tirou-nos a capacidade de imprimir no papel a sentida marca de uma lágrima mas, para o nosso bem, não nos tirou o valor emotivo das palavras.



Porque choro eu? Talvez seja porque o mundo por vezes nos presenteia com tanta beleza e a vida, nos seus desígnios misteriosos, nos dá tantas surpresas de retirar a respiração que se torna impossível não ter um coração que bata no peito e nos deixe arrebatados por tudo isso. Ou então choro porque o mundo também consegue ser um lugar escuro, onde sentimentos negros nos cortam a alma em pedaços e nos deixam o coração a nu.



Mas, bem vistas as coisas, também posso chorar por perceber que isso demonstra que tenho emoções faz de mim um homem melhor, um homem moderno. Mariquinhas são os que escondem os seus sentimentos por detrás de uma carapaça sem sentido, pois é possível ser duro e sensível, tal como é possível encontrar champô e amaciador num só frasco.



Sou um homem dos dias de hoje e posso chorar por tudo aquilo que me apetecer e, melhor ainda, posso falar sobre isso e garantir desde logo que não choro por ser uma flor de estufa, mas sim porque até a rocha mais dura pode sofrer, nem que seja por erosão.



Há mulheres que gostam (desde que não tenha um ar exageradamente imberbe ou dramático), há homens que gostam (nem que seja por benchmarking) e os homens que não gostam são óptimos para formar contraste. As crianças não percebem se gostam ou não, mas não vou falar sobre crianças que questionam homens a chorar porque esse é um tema que me emociona bastante.



Mas acima de tudo, eu gosto e nem que seja porque me entrou poeira para os olhos, vou sorrir cada vez que choro e dizer a todos o que isso significa para mim. Que sou homem e tenho sentimentos.



Nota: As conclusões que se podem tirar disto variam consoante a seriedade com que encaram este espaço. Eu próprio ainda não decidi.

20 comentários:

  1. não consigo perceber se estás a escrever isto a gozar ou a sério mas gostei da parte sobre crianças que questionam homens

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A dúvida é metade do gozo. A outra metade é a sensibilidade.

      Eliminar
  2. A fazer campanha para os BILF 2013 do Quadripolares? Vou lá 'botar' o nome na caixa de comentários!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso é troféu prestígio, eu cá sou um gajo das medalhas das corridas, muito suor, muita roupa de mau tom e muita interjeição suspeita.

      Mas a sensibilidade vintage, essa ninguém me tira ;)

      Eliminar
  3. essa das corridas é que me deixa desconfiada...eu costumo gostar dos amigos dos meus amigos e desgostar dos amigos dos meus não-amigos... Espero que isso das corridas não signifique que o Mak na vida real é um "sensivelzinho"

    ResponderEliminar
  4. (se bem que revelações recentes indiquem que o outro das corridas seja mais um "racionalistazinho" ou um "insensivelzinho")

    estou confusa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu sou eu e os outros são os outros. Pode parecer confuso, mas o princípio é assim.

      Eliminar
  5. Respostas
    1. Espero que não fosse pelo aspecto gore de um coração nu, uma cena muito à talhante...

      Eliminar
  6. Respostas
    1. Incluir pés de salsa em qualquer post só aumenta o grau da mariquice.

      Eliminar
  7. Aquele urso amarelito já me tinha disto isto tudo, meu caro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quando se começa a falar com ursos, ou se é iluminado ou se é alienado minha cara...

      Eliminar
  8. Não será conjuntivite?

    ResponderEliminar
  9. Achei que estavas a gozar, mas quando cheguei à parte do champô percebi que era a sério. Penitencio-me por ter hesitado...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também é coisa que arde sem se ver, o champô quando nos entra nos olhos...

      Eliminar
  10. Eu tive quase a chorar um cadito... juro mesmo que senti ali uma lágrima a aflorar no cantinho do olho... e quando estava quase a desistir de conseguir chorar, pensei na minha vida triste e solitária, e as lágrimas sairam com a intensidade de um rio..

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tem cuidado, conheço tipos que começaram a pensar na vida e, vários anos mais tarde, ainda não pararam de chorar...

      Eliminar
    2. Eu sei... por isso depois pensei nos últimos dois jogos do benfica e comecei a rir a bandeiras despregadas! :)

      Eliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.