18.4.13

Correr uma maratona lá fora e sem medos



Para quem não sabe, daqui a pouco mais de uma semana vou fazer a Maratona de Madrid. Nos últimos dias, influenciadas pelos acontecimentos de Boston, muitas são as pessoas que conheço que, entre brincadeiras e preocupações, me colocam várias versões desta questão:

“Não tens medo?”

Sem qualquer bazófia, a resposta é sempre a mesma: Não. Primeiro que tudo, que não se confunda este “Não” com inconsciência, pois se fosse correr uma maratona da Faixa de Gaza ou outra zona igualmente problemática, não só estaria todo borradinho, como muito possivelmente nunca me teria inscrito.

No entanto, os temores ou sensação de medo que muitas vezes o excesso de informação e mediatismo inspiram nas pessoas (vide Gripe A, etc) não fazem parte da minha realidade. O que aconteceu, por mais condenável e triste que seja, não afecta em nada os meus planos – conhecer uma cidade que não conheço tão bem como gostaria, começando por uma abordagem diferente – correndo uma maratona.

Durante os 42kms e quase 200 metros da prova vou ter tempo para pensar em muitas coisas, para ver muita coisa nova e posso até ter tempo para ter dúvidas ou receios em função de como me sentir, até porque o facto de já ter completado duas maratonas não faz de mim um expert, longe disso. Mas para a ideia de “E se acontecer algo como em Boston?” não vou ter tempo, nem quero ter tempo e alimentar essa ideia seria ir contra uma ideia muito básica em que acredito – se tomamos os medos dos outros como nossos, nunca vamos enfrentar os nossos próprios medos.

“Que sera, sera”, sim porque eu já ando a treinar o maravilhoso mix portunhol, indispensável para quem vai passar uns dias com nuestros hermanos. Também aceito sugestões para Madrid, tirando coisas do género “E se corresses a maratona com uma tanga de leopardo?”, não por desprezo, mas porque sou muito fiel à minha lycra zebrada.

7 comentários:

  1. mak, quando falei nisso ao meu chefe, que esteve no fim de semana passado a correr a de roterdão, a resposta dele foi "sem stress. quando a bomba explodiu eu já estava no hotel".

    regra de ouro, corre em menos de 4 horas e estás safo =D

    ResponderEliminar
  2. olha que excelente postura- ir atrás de cultura do medo é atraso de vida.
    boa corrida !(não leves tanga - ou melhor, se levares tanga, leva uma com a bandeira PT, mas sem pagodes)

    ResponderEliminar
  3. 42 k??? Ó céus e eu que estava toda contente comigo porque ontem voltei às corridas... Acho que só daqui a 500 anos consigo correr isso tudo! lol Boa sorte na maratona! ;)

    ResponderEliminar
  4. Muito fixe, conseguires fazer a maratona. Eu faço muito desporto mas não conseguiria. Quanto ao perigo de atentado, não contes com isso. É muito mais perigoso conduzir numa estrada Portuguesa. Abraço fraterno, não te esqueças de escrever à mãe.

    ResponderEliminar
  5. Para umas cañas y tapas sugiro o Lamiak. Há dois, ou havia. É excelente e com preços simpáticos (mas a info reporta-se a 2010). Mas sei q no final de 2011 ainda se mantinham.

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.