14.3.13

Flash Interview com Jorge Mário


(Junto à Capela Sistina alguns cardeais trocam cumprimentos, outros trocam até peças de roupa, observamos um placard publicitário com alguns dos principais patrocinadores do Vaticano. Repórter aguarda Jorge Mário que, já com cãibras de tanto se benzer, se limpa a uma toalha branca que se confunde com o seu novo equipamento. Apesar do cansaço, revela-se disponível.)

“Jorge Mário, grande reviravolta, esperava este resultado?”
“Jorge Mário é um servo de Deus e, como tal, vindo de uma entidade que tanto cria o mundo em sete dias como nos faz aturar as televendas durante tantos anos, temos que estar preparados para tudo”.
“Já escolheu nome de guerra Jorge Mário?”
“Trate-me por Francisco, mas olha que isto não é uma daquelas cenas de forcado, tem que ver com cenas mais espirituais.”
“Muito bem Francisco e esta mudança tem que ver também com a sua posição de missionário?”
“Não, não, isto foi só das votações, no conclave as coisas não se decidem assim de forma tão liberal...”
“Sendo argentino, é inevitável não falarmos da mão de Deus...”
“Pois, calculava, mas essa já o Maradona usou, por isso vamos supor que no meu caso foi utilizada outra parte do corpo...”
“Quer arriscar alguma hipótese Francisco?”
“Talvez o baço...”
“O braço de Deus? Uma hipótese com força portanto...”
“Não, não, eu disse o baço, que é uma cena que se pode retirar e não faz falta, mas que se pode conservar num frasco e ainda impressiona bastante. “
“Ah...certo. Só mais uma pergunta Francisco, o que acha que esteve na origem de uma decisão tão rápida que levou à sua escolha?”
“Bem, são apenas conjecturas, mas o facto da Tasca do Xico, ali na segunda à direita de quem sai do Vaticano, à quinta servir arroz de tamboril com gamberetti ao almoço pode ter apressado a coisa. Na nossa idade, canapés já não dão aquele conforto e alguns cardeais já se estavam a queixar que o arroz de miúdos de frango tinha muito frango e poucos miúdos....Ah, ah, brincadeira mas Xico, se me estás a ouvir, com este patrocínio nunca mais me cobras um euro...”
“Pensei que tinha escolhido o nome por razões espirituais”
“Claro, é que à sexta na tasca do Xico a especialidade é bacalhau espiritual e...”
“Bem, ficamos por aqui, com as primeiras palavras de Papa Francisco, ex-Jorge Mário”
“Só mais uma coisa...”
“Sim, diga.”
“Devido à intransigência do cardeal de Milão infelizmente tenho de anunciar que não vamos proceder de imediato à beatificação de Messi mas, a título honorário, vamos considerar todos os seus golos na Champions um milagre.”
“Então e Cristiano Ronaldo?”
“Esse só quando renegar ao diabo...”
“Refere-se portanto aquela russa que o desencaminha nas horas vagas...”
“Não, não, essa é divinal, estou a falar da mãe e das irmãs, aquilo é com cada gárgula...”

(corte de emissão, com os melhores momentos de Jorge Mário em missas do apuramento para o conclave)

1 comentário:

  1. Não sei porque estou aqui tão só, mas tinha mesmo que vir dizer que este post está divinal.

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.