8.2.13

São tipo tiques de linguagem


Quem comunica e não vive debaixo de uma rocha, sujeita-se não só a captar vícios de linguagem, como também a gerar o seu próprio lote de pequenos tiques de conversação que, ciclicamente, vamos debitando com maior ou menor frequência.



Às vezes damos por eles e conseguimos corrigir, outras vezes são os outros que nos chamam à atenção e, neste último caso, muitas vezes a nossa reacção inicial é “Quem, eu? Não estou nada sempre a dizer isso...”. Mas depois, quando nos afastamos, começamos a analisar a coisa e caída do céu vem a noção que o que nos disseram afinal até é capaz de ser verdade. E depois começa a batalha da correcção, que nem sempre é algo que lá vai com falinhas mansas.



Sem me esforçar muito, tiques de linguagem trendy neste momento ou que são cíclicos:



“Brutal” – Uso institivo desta palavra para definir qualquer coisa surpreendente.



“Validar” – Antigamente só se utilizava o termo para títulos de transporte, agora em meios profissionais ouve-se mais do que “Bom dia” (a par de feedback).



“Tipo” – “É tipo isso”, “Tipo, passou-se...”, “Foi do tipo”, isto é, o uso atípico de tipo para tipo todo o tipo de situações.



“Hipster” – Está a caminho de entrar no Olimpo dos termos trendy, vintage e gourmet, na definição de tudo o que é pseudo pós-moderno.





Mas não se pense que estou acima destas micro-falhas. Recentemente dei por mim a entrar numa clínica de reabilitação de linguagem depois de me ter apanhado várias vezes a dizer “Das duas, uma” e “É bom que vejas”, mesmo quando tal não fazia sentido nenhum ou era perfeitamente substituível por expressões mais funcionais.



E é bom que vejam que das duas, uma – Ou isto resulta ou este texto não faz sentido nenhum.

8 comentários:

  1. Hahaha! Assumo, tenho muitos, mais do que é aceitável até. Se calhar são muletas ;)

    ResponderEliminar
  2. As bengalas linguísticas podem ser mesmo irritantezinhas.

    ResponderEliminar
  3. São as chamadas muletas do raciocínio.
    A minha é "CERTAMENTE"

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os "mentes" são um mimo. Em tempos, na bola, não faltavam membros do clube do "efectivamente".

      Eliminar
  4. Tenho ideia que tipo já anda por aí há uns bons anos, terá aparecido um bocado a seguir ao "estilo", ou ao mesmo tempo, mas aguentou mais tempo. É o nosso "like, uh...".

    Brutal já não me consigo bem lembrar se veio antes ou depois de tudo ser "genial", ou "óptimo", mas acho que o último desse género a aparecer foi mesmo o flagelo do "Épico" - que fez com que a palavra se desvalorizasse... brutalmente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estava-me a esquecer que o tipo/estás a ver também fazem correspondência em parte com o anglófono "You know" que é praga em discurso vocal menos cuidado.

      Eliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.