17.2.13

Random facts académicos de domingo à noite

tive uma professora de francês que era anã. Também já tive uma professora de francês que era Ana.

Na universidade tive um professor que disse que eu era o urso  da turma e acrescentou que tal era um elogio. Não rugi de alegria porque tinha a boca cheia de mel.

Já escrevi uma pergunta de desenvolvimento, para passar a uma cadeira, sobre a importância do polegar oponível para o desenvolvimento cultural humano. Basicamente, se não fosse isso, hoje não sabíamos o que era fazer um like.

A última cadeira que fiz foi Economia. A primeira foi História. Curiosamente, nos dias que correm, boa parte da minha economia tende a passar à história.

6 comentários:

  1. com esta descrição de cadeiras fiquei com a certeza q andaste no ISCSP! a economia como ultima cadiera não engana!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A mistura entre a minha carreira académica e um verdadeiro filme é tal que, até hoje, a ideia de ganhar um Óscar não me saiu Barata ;)

      Eliminar
  2. Também tive uma professora de francês que era anã. Quais as probabilidades?!

    ResponderEliminar
  3. á laia de passar despercebido...posso roubar e citar como meu? relvas style xD

    ResponderEliminar
  4. Já eu tive uma professora de francês que se chamava Ana e era anã. O que me foste lembrar...vê-la a entrar no seu Clio, ajeitar a almofada debaixo do rabo (para ficar mais alta), esticar-se para chegar aos pedais e arrancar o carro era o nosso divertimento diário (estamos a falar de tempos em que não havia Facebook, Youtube e os telemóveis eram blocos tijolíticos)

    ResponderEliminar
  5. Dentro de uma certa faixa etária e tendo em conta determinada zona de Lisboa (Algés, Belém, Alcântara), esse pode ter sido o epicentro do francês leccionado por docentes diminutos.

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.