22.2.13

E, à porta daquela sala, quiseste salvar o mundo



O filme era dramático e o fim não era bonito, estragou-te a maquilhagem. Tu que tinhas jurado que isso não ia voltar a acontecer, que não ias sair da sala para defender uma floresta selvagem, adoptar uma criança do outro lado do mundo ou, simplesmente, a querer fazer daquele dia O dia em que tudo mudava.

Porque o hoje cedo se transformava no amanhã, a memória do filme esbatia-se no filme da vida e tudo ganhava forma de um sonho esquecido que só surge escondido no meio do suspiro mais fundo. Até ao dia em que nova fita começava a chamar por ti, o gosto pelo cinema levava mascarado o gosto pelo sonho e, sem que desses por isso, o convite estava feito, os bilhetes estavam comprados e a sala começava a escurecer.

Mas por mais forte que sejas, a tua força também se faz de lágrimas e a tua maquilhagem não é tão forte como tu. E o fim, que não foi bonito do filme que era dramático deixou-te à porta daquela sala, decidida a começar pelo mais fácil, que era salvar o mundo.
Começando pelo teu.

2 comentários:

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.