10.1.13

Os virais da moda


Há marcas que anseiam por criar virais, uma das ferramentas de comunicação mais trendy dos últimos tempos. E se isto de "criar virais" é uma área muito lamacenta, porque quem torna algo viral é o público e não o produtor/emissor do conteúdo, o curioso é ver quando a coisa se torna viral por razões que escapam aos objectivos de quem os produz.

Na era das redes sociais estas são um pau de dois bicos, pois tudo o que lá entra tanto pode ganhar rapidamente feedback positivo como rebentar na nossa cara e é preciso ver que, quando o conteúdo sai das nossas mãos, aquilo que lá pomos deixa de estar sob o nosso controlo.

As coisas bem feitas e planeadas nesse sentido e as grandes sacadas têm grandes resultados, mas até nesses casos há coisas que não resultam. Não é disso que se trata no regabofe que aí vai à conta da campanha da Samsung com bloggers de moda, etc (by the way, pessoal da Meios, se é para escrever bloggers em português, será conveniente não ficar a meio caminho). Quando cedemos espaço de opinião, por mais reputadas que as pessoas possam ser na sua área e, admito, não conheço as pessoas dos vídeos, num acção de marca é bom ver se o que as pessoas têm para dizer é um valor acrescentado. Porque, podemos agora andar todos a gozar com malas da Chanel, boa vida e afins, mas quem foi uma marca que escolheu estas pessoas para as associar aos seus produtos e aos valores que estes representam.

Neste caso, os conteúdos lançados já estão a caminho de se tornar virais, mas dá-me a ideia que não será bem pelo caminho que a Samsung desejaria. E o que me faz confusão, no meio disto tudo, não é a ideia na base, não é o discurso vazio ou pelo menos mal trabalhado (há guiões para casos em que as pessoas, por sí só, não se revelam grandes oradoras), nem sequer a falta de noção que é tirar as pessoas da sua área de conforto (moda) e pô-las a falar de desejos pessoais, com gadgets pelo meio.

É o facto de ninguém, entre produtor, agência ou cliente ter tido a noção que há coisas que falham mesmo antes de serem lançadas e, quando assim é, o melhor é nem verem a luz do dia. E aquela história do não interessar se falam bem ou mal, desde que falem é muito relativa quando passamos a ser alvo de risota geral.

No entanto, como isto anda, vai-se a ver e ainda estamos a assistir ao nascimento de figuras de elevado potencial mediático...

16 comentários:

  1. pobrezinha, ela só que (u)mamá-la (sorry... piadinha fácil!!!)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se essa piada tivesse direitos de autor alguém teria ficado rico aqui há uns dias...

      Eliminar
  2. A coisa para lá de afectada, foi aparentemente retirada. Demasiado viral. http://www.dinheirovivo.pt/Buzz/Artigo/CIECO090847.html

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma vez na internet, para sempre na internet...

      Eliminar
  3. Estou-me a cagar para a mala da Chanel.
    Ver a Samsung numa coisa destas é que me causa nojo.
    E depois ouvir aquela senhora.

    Vou ter que malhar forte e feio no meu tasco...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ISto foi tudo mal gerido, prova que o patamar de maturidade online, quer de marcas, quer de muita gente, ainda deixa muito a desejar...

      Eliminar
  4. Tenho pena dos bloggers que estão a ser enxovalhados...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como é óbvio, há sempre reacções fora de tom e sem pés nem cabeça. Mas "pena" não chego a ter, já não há inocentes... no entanto, seria bom que as pessoas fizessem um exame de auto consciência, começando por quem procura o mediatismo sem estar preparado para isso...

      Eliminar
  5. Sim, mas alguém lhe dá uma ou não?

    ResponderEliminar
  6. Os desejos são dela e os objectivos cada um define os seus. Mas a dicção da moça é muito má. É tão má que nem para chamar a equipa de limpeza ao corredor 5 de um qualquer supermercado serve...

    A questão é mesmo esta, o produto final é mau. Porque avançaram com ele?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É mesmo essa a questão principal - onde está o discernimento de quem dá o aval à campanha. Muitas vezes, longe da vontade e do empenho dos intervenientes há coisas que não resultam. Aqui era notório que a coisa ia por aí, começando pela associação da marca a uma produção bastante amadora...

      Eliminar
  7. Não faço ideia nenhuma do que é que estão a falar...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso é uma sorte, nos dias que correm.

      Eliminar
  8. As pessoas são más e mesquinhas. É apenas uma miúda, ninguém merece ser tratado assim. Lamentável a Samsung não a ter protegido, postura reprovável en todos os sentidos. Quem tem que sentir vergonha não é a Pepa Xavier, mas a Samsung. E eu sinto vergonha de todos os portugueses que achincalharam a miúda mas não têm o mesmo empenho para assuntos realmente importantes.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A Samsung tem culpas, maioritariamente por ser uma estrutura profissional e ter avançado com conteúdos que para além de em nada servirem a marca, era por demais fraquinhos. Mas, além disto tudo, para sua própria defesa, a Pepa que tem um mestrado em comunicação e imagem, aos 25 anos já devia estar melhor preparada para se defender em termos de comunicação. Uma pessoa que gosta de moda, um mundo em que a imagem é tudo, desejos e infantilidades à parte, devia preparar-se melhor ou recusar. Sim, porque as pessoas podem recusar convites.

      Quanto às pessoas, é como em tudo, eu acredito que este caso dá para brincar bem, brincar mal, colocar críticas ajustadas ou ser pura e simplesmente maldoso. Estas "massa de gente online" é a mesma que também assina petições e faz correr apelos de dadores, etc.
      Assim como sempre foi, as pessoas são capazes do melhor e do pior...

      Eliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.