23.1.13

Cemitério de ideias



Não só para eles, mas especialmente para quem vive das ideias ou parte do seu trabalho passa por tê-las/desenvolvê-las, é impossível não ter a noção de que, a dada altura, já temos um cemitério de ideias para visitar regularmente.

É aí que moram todas as ideias que não chegam a ver a luz do dia, juntando-se às que tinham tudo para ver a luz do dia mas foram vítimas de um qualquer evento trágico, isto para não falar nas que se finaram depois de terem sido empurradas por nós para o esquecimento ou para o Mar de Um Dia Hei-De Pegar Nisto.

Nem sempre estas visitas ao cemitério de ideias têm que ter um tom amargurado. Por vezes é apenas uma experiência agridoce, seja porque hoje em dia as coisas já não fazem sentido da mesma maneira ou porque há ideias que se calhar têm um prazo de validade. Seja como for, seja trabalho ou algo pessoal, passar por lá é o início de conversas que começam assim “Lembras-te de quando pensámos/pensei em...

A vantagem de ser um cemitério figurado é que cada um pode imaginá-lo como quiser. E se não tiverem nenhuma ideia de jeito ao fazê-lo podem enterrá-la mesmo ali.

1 comentário:

  1. Já tive que mandar acrescentar o cemitério duas vezes. Só para não enterrar os meus mortos uns em cima dos outros. Ou ideias, já que era disso que estavas a falar...

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.