2.10.12

Nem pinga amor, nem pinga Diana, nem pinga Cacharel

-->


Não sei se me diverte mais a credulidade de tanta gente, que nisto da comunicação pseudo-viral e da malícia nas redes sociais parecem ter a inocência da criançada do jardim de infância, se as reacções despeitadas perante uma marca que tentou, a remendos, adaptar à bruta uma experiência que já tinha corrido mal lá fora.

Deve a marca levar uns açoites das autoridades que controlam a publicidade, mesmo tendo em conta os vazios legais que devem haver nos novos formatos? Certamente que sim, ao que se irá acrescentar a publicidade negativa que, não sei como, os levou a pensar que enganar os consumidores era uma boa forma de aumentar as vendas.

Agora o histerismo e a revolta de amantes dos contos de fadas que viram o castelo a ruir prova que a imaturidade ainda reina no mundo das redes sociais, com a agravante que até meios tradicionais vão aqui buscar as bases para notícias, reportagens e entrar na onda parece que é obrigatório.

Não condeno quem tem vontade de acreditar, nem digo que as coisas não podem acontecer, mas tudo tem o seu enquadramento dentro da realidade e entrar na cavalgada (quer positiva no início, quer negativa no fim) tem tudo para dar mau resultado.

Eu, ligeiramente cínico, me confesso – isto dá-me sempre matéria para estudo social.

A única coisa que me choca, é que do Hilário e da porra da ovelha desaparecida poucos são aqueles que querem saber.

9 comentários:

  1. Eu não sabia o que era isso da Diana até ter aberto o reader e encontrar um post da Pipoca sobre isso (sim, leio-a no reader). E depois o idiota do arrumadinho também a falar na mesma coisa e ele, sim, logo na altura a aproveitar a onde de mediatismo, como ele sabe tão bem fazer.
    o facto de as pessoas se ligarem tanto a uma coisa tão idiota como essa é mesmo típico de mentalidades com preocupações comezinhas. Ou isso, ou as pessoas em Portugal sofrem todas de um grave caso de carência afectiva.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nada tenho contra ligar à história, embora como disse me surpreenda que as pessoas acreditem muito mais facilmente em coisas que descobrem na net do que se alguém as abordasse em pessoa.

      Mas depois, reacções indignadas em excesso é um bocado como querer processar o realizador de um mau filme que acabámos de ver.

      Eliminar
  2. Eu tenho outro ponto de vista.

    Tenho pena da quantidade de desgraçados que este fim de semana se tentaram fazer uma miúda e a tipa se pôs com merdas iguais a esta.

    ResponderEliminar
  3. Eu cá diria:
    - Pinga, mas da boa.

    ResponderEliminar
  4. a mim choca-me que o povo queira culpar a cacharel por falta de romance nas suas vidas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, pode até ser um pouco por aí. Depois de ser famoso, um dos desejos mais requisitados deve ser fazer parte de um conto de fadas...

      Eliminar
  5. bastava perceber a incoerência nas informações deles.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O problema é que quem está a notar incoerências não vê corações ;)

      Eliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.