12.10.12

Coisas que se aprendem online

E que se calhar não se deviam aprender...

Como já referi aqui noutras ocasiões, surpreende-me a inocência de muita gente em relação à internet e às redes sociais, sendo que neste último caso a ânsia de partilhar e mostrar muitas vezes vai para além do bom senso. A maturidade virtual tem patamares muito diferentes da experiência de vida real, dos anos de vida e das tretas do costume.



Esta campanha é só o exemplo de como o Facebook, quando mal utilizado, é como colocar a nossa vida na montra do café da aldeia. E acreditem, estou longe de ser um velho do Restelo em relação às redes sociais, acho é que é preciso conhecer o suficiente acerca delas e do seu alcance para saber avaliar os limites da exposição da nossa vida.

O resto cabe a cada um ver por si...

6 comentários:

  1. Yep, a grande maioria acha que são os teenagers que têm de ter cuidado, o resto está seguro, não é bem assim..

    ResponderEliminar
  2. Penso exactamente da mesma forma. Mas, se este anuncio fosse visto por todos os utilizadores (eram "likes" sem fim), daqui a uma semana voltavam ao mesmo. Esquece rápido.

    ResponderEliminar
  3. Mt bom.
    Assim talvez já consiga justificar aos meus amigos o porquê de eu não ter facebook e afins, pode ser que eles percebam!!

    ResponderEliminar
  4. E atenção, que eu tenho a vaga impressão que isto é fake, por causa do foco no número de conta, já que o aspecto financeiro é daqueles que as pessoas ainda têm mais cuidado online por causa das fraudes. Mas, como o anunciante é tipo a SIBS lá do sítio eles tiveram que vergar um bocado a mola nesse sentido.

    Tivesse a campanha sido focado no uso de fotos e dados de crianças e redes de pedofilias e era jackpot...

    ResponderEliminar
  5. Toda a gente sabe que quem nao tem facebook nao tem vida. E um Ze Ninguem! :|

    ResponderEliminar
  6. Completamente verdade...scary.
    bj

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.