24.9.12

O c”#%ão do boneco careca da IKEA




Estavas lá, como sempre estás depois de viagens produtivas até à loja dos teus paizinhos. No início dizes que é tudo simples, dás umas dicas sobre as ferramentas a usar, mas não fazes a ponta de um corno para ajudar.
Pelo teu ar, estás careca de saber o que vem a seguir e ficas ali, página a página a gozar o prato. De x em x quadros lá vem a dúvida, que a perspectiva da imagem não esclarece devidamente. “Isto será de lado ou voltado de frente?” e tu, meu m”#%das, ficas ali de ferramenta na mão sem adiantar o que quer que seja.

Seis ou sete quadros mais tarde, aparece a sugerir um parafuso e deixas implícito que já fiz burrada lá atrás. Obrigas-me a fazer tudo de novo e fazes um ar triste, como se estivesses compadecido, mas sei bem que tu não tens sentimentos meu careca nojento. Fazes o teu trabalho, que é meter os outros a trabalhar e isso chega-te para gozares a vidinha.

Acrescentas inputs valiosos como “Não salte com os pés para dentro da gaveta” ou “Não se sente numa ripa de madeira, porque essa trampa, como boa parte do nosso material, é frágil”. No entanto, esqueces-te de referir que não segurar certas peças por determinados pontos pode danificar a estrutura, que certas porcas (e não me refiro às tuas familiares directas) ou outros pontos de conexão podem lixar horas de trabalho e colocar a perfeição do resultado final em causa.

Este fim de semana ajudaste a tirar mais quase quatro horas da minha vida e lixar quase tudo no final pelo facto de seres um inútil que não ajuda quando faz sentido e deixa sempre a responsabilidade nas mãos  dos outros.

E é por isso, meu c#%#”ão de boneco sueco de um catano, que te odeio com todas as forças e, se estivesse dentro das minhas capacidades, te gostaria de enfiar com uma chave de fendas daquelas que tanto gostas de sugerir, em apenas dois passos, pelo teu ponto de conexão nº4 acima.


Ou “Histórias que acontecem porque entrega e montagem ficam pelo mesmo preço que o mobiliário que acabas de comprar”.

9 comentários:

  1. ahahah! Não é assim tão complicado, basta que se tenha alguma habilidade de mãos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Minha cara, não sou novato destas andanças e embora não seja um devoto dos trabalhos manuais, já tratei da saúde a muita mobília e ajudei parcialmente na recuperação da minha modesta residência.

      O problema é que quando não escolhes os materiais a teoria (livrinho do boneco) parece sempre mais fácil que a prática.

      Eliminar
  2. hahaha... o pior é que o gajo acaba por ter sempe razão.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, c#"%&%ão, com o bandulho cheio de almondegas e doce de mirtilo e vai para casa das pessoas dar uma de sabichão...

      Eliminar
  3. Lolol eu devia ter um doutoramento a montar móveis IKEA!
    Isso e mesas de Ping Pong, que ainda é pior.

    ResponderEliminar
  4. Chorei a rir, muito bom!

    Os suecos são iguais aos dinamarqueses a fazer instruções... estranhamente são dois povos com grande sucesso nessa coisa do faça você mesmo:
    IKEA para adultos;
    Lego para os putos (onde é que já se viu, mandar a criança fazer o brinquedo... e ainda mandam bocas aos chineses e aos vietnamitas).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É a solução ideal, tirando se não fores sueco ou dessa vizinhança calma e tranquila.

      Eliminar
  5. O golpe mais baixo é quando o careca diz que se houver um problema, basta ligar para o IKEA que eles tiram as dúvidas. Dá-me logo vontade de acender a lareira e gritar "A agora, careca?! Também queres utilizar o teu direito ao telefonema?".

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma vez mais o sacana do boneco isenta-se de responsabilidades e diz para tu ligares. A ver se se chega à frente, dado que quase de certeza deve ter telemóvel da empresa e é ele a fazer a chamada...

      Nada.

      Eliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.