14.8.12

Um dueto a que se sujeita o sujeito


Ao início, fiquei intrigada pelo facto de quase todos os textos participantes deste desafio terem sido escritos com o sujeito suprimido (ou será subentendido? de qualquer das maneiras, era com certeza absoluta oprimido); depois, percebi que um sujeito presente é logo uma palavra mais perto do difícil limite de cinquenta.
O sujeito leu as linhas anteriores atentamente e suspirou. Nunca se tinha visto como oprimido, pois ele era e sempre seria o sujeito e, para fazerem sentido, as coisas teriam sempre que passar por ele. Acendeu um cigarro, olhou para ele pensativamente e atirou-o pela janela. O sujeito não fumava.


Obrigado Marta, pela oportunidade de fazer reflectir o sujeito.


100 palavras : 2 pessoas = Duetos improváveis plenos de falta de sentido.  
Participa via mail se tens algo a dizer, participa também se não dizes nada de jeito.
  

1 comentário:

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.