11.8.12

Mitos da música clássica

Apesar de toda a sua qualidade, estudos neurológicos comprovam que ouvir música clássica melhora em cerca de zero as capacidades intelectuais de criancinhas e recém-nascidos, não necessariamente por essa ordem.

Lamentavelmente, o mesmo estudo não referia a influência da audição de Metallica ou Rammstein no mesmo público alvo...Pussies.

5 comentários:

  1. realmente inacreditável... ainda assim apraz-me dizer que antes cerca de zero do que absolutamente zero... ja agora, como exactamente é que conseguiram chegar a essa (ou a alguma) conclusão?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Na verdade, isto faz parte de um mito, porque nunca foi efectuado um estudo com bebés nesse sentido, apesar de já quase toda a gente dizer ter ouvido/lido algures de fonte científica que a música clássica ajuda a criançada a desenvolver o QI.

      O que se passou em 1993 foi um estudo da revista Nature que indicava que ouvir Mozart melhorava o desempenho de estudantes universitários americanos, em tarefas ligadas o noções de espaço, etc. O mito cresceu, às tantas os universitários afinal já eram bebés e deu-se a maluqueira. (aliás, pelo que vi, em 1999 um estudo desmentiu o primeiro, mas uma vez mais em universitários e nunca em bebés).

      Pelo que percebi e em neurociência sou apenas um reles curioso, a única coisa comprovada a nível musical em crianças, é que começar desde muito cedo a tocar um instrumento permite-lhes desenvolver uma noção espacial bem mais apurada do que outras crianças.

      Uma vez mais, sem qualquer referência a Rammstein...

      Eliminar
  2. É pena. Estava a pensar pôr a minha criança a ouvir Quim Barreiros.
    Joana come a papa

    ResponderEliminar
  3. quanto a criancinhas e recém-nascidos não sei, mas os grandes Myhtbusters estudaram o efeito de diferentes músicas em plantas, e não, a música clássica não foi a vencedora
    http://www.youtube.com/watch?v=CMiVNPXR5qw
    http://www.youtube.com/watch?v=FhsbM9LxPAk

    ResponderEliminar
  4. Não sei se melhorou em alguma coisa a sua capacidade intelectual, mas a música favorita da minha filha, quando tinha 5 ou 6 anos, era dos Korn.

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.