7.8.12

E se a vida real tivesse um narrador?


Não sei se às vezes não faz falta um narrador à vida real, tal como nos filmes. Uma figura neutra e independente que nos conta as histórias como elas realmente são ou que, no limite, nos vai revelando as coisas pouco a pouco, de forma imparcial.

É certo que todas as histórias têm dois lados mas, quando não fazemos parte delas, rapidamente percebemos que se a juntarmos nada bate certo ou há partes que divergem profundamente. A razão mistura-se com a emoção, o envolvimento tolda a lógica e perdemo-nos ao longo do caminho.

Talvez um narrador estragasse parte da piada mas, de quando em vez, daria de facto muito jeito.



PS - Este conceito assemelha-se vagamente ao de um filme que já aqui referi "Stranger than Fiction", mas sem a necessidade de matar alguém para esse efeito.

PSS - A referência musical é metafórica, possivelmente tornou-se óbvia para quem passou o dia a ouvir o Sr. Saadiq

4 comentários:

  1. Lol acreditas que já pensei nisso? :)

    ResponderEliminar
  2. Só aceitava se o narrador da minha fosse o Samuel L. Jackson.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Recomendo, nesse caso, a audição da versão original dos contos infantis Go the F**K to sleep" - http://www.youtube.com/watch?v=CseO1XRYs9I

      A próxima geração já pode beneficiar disto.

      Eliminar
  3. Mal li o título do post pensei logo no filme...

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.