22.8.12

Dueto na folga de S.Cipreste


Depois de mais uma noite mal dormida ao lado do seu marido, bateu três vezes no toco de madeira que traz sempre na carteira e murmurou baixinho 
"Bicho bichão
aranha aranhão,
em nome de s. cipreste,
tudo o que faço te preste."
Benzeu-se, sorriu, arrumou o toco e saiu do quarto.

S.Cipreste, que por essa altura se deliciava com a Vibraplate comprada nas televendas, olhou desconfiado para o alerta-sms. Porque raio insistiam em lhe fazer pedidos por rimas cheias de bicharada suspeita e métrica alucinada? Decidiu ignorá-la, lembrando-se que já tinha acudido aquando da oração sobre a Bimby da vizinha.


Saravá Helena, por tão cipriânica oportunidade.


100 palavras : 2 pessoas = Duetos improváveis plenos de falta de sentido.  
Participa via mail se tens algo a dizer, participa também se não dizes nada de jeito.


Sem comentários:

Enviar um comentário

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.