24.6.12

A ver a bola e uma espécie de transformismo

Não querendo estragar a vossa última hora de domingo, eis o que pude constatar do jogo que acabei de ver.

A Inglaterra, farta de ser sempre a Inglaterra, decidiu jogar como a Itália, porque a Itália quando joga contra a Inglaterra tende a safar-se. Mas atenção, a Inglaterra jogou como uma espécie de Chelsea que joga à italiana, mas que tem bons estrangeiros para jogar dessa forma. Até porque jogar à italiana só com ingleses nunca teve grandes resultados.

Já os italianos, surpreendidos por se verem a jogar contra si próprios, mas com muito mais estilo em termos de look e postura, acharam aquilo aborrecido, apesar de saberem que não sabem jogar sem ser como a Itália joga, mesmo que a Itália de hoje não seja a Itália de ontem. Vai daí, resolveram jogar como se fossem portugueses, criando inúmeras oportunidades mas tendo dificuldades em concretizá-las.

Conforme veio o prolongamento e os penalties se tornavam cada vez mais uma possibilidade, os ingleses que estavam a jogar à italiana sentiram-se cada vez mais confiantes, pois o Chelsea a jogar à italiana também se tinha safado bem dessa maneira. Os italianos mantiveram a toada já que, mesmo com um toque de portugueses, sabiam que os ingleses iam acabar por se aperceber da sua condição de britânicos.

Chegados aos penalties, a Inglaterra apercebeu-se que afinal só tinha jogadores ingleses para marcar penalties e entrou em pânico, tendo pedido aos italianos para trocarem alguns jogadores, o que estes recusaram, especialmente devido ao corte de cabelo lamentável de alguns jogadores ingleses. Ainda assim, maquiavélicos como só os italianos sabem ser, falharam um penalty, para dar aos ingleses uma breve sensação de que não seriam a Inglaterra de sempre.

Mas foram e a Inglaterra de sempre, mesmo a jogar à italiana, não passa eliminatórias em penalties. Já os italianos, não perceberam bem quem eram afinal os tipos do outro lado, mas no fim cobraram-lhes o mesmo que cobrariam a ingleses.

10 comentários:

  1. foi um jogo muito muito secante... ainda dei uma volta pela cidade

    http://oparttime.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Comparado com o Espanha-França, foi um dilúvio de futebol.

      Sem comparar, foi interessantezinho.

      Eliminar
  2. Faltou-lhes a cor do equipamento, já que com o Proença ganham sempre os de azul...

    ResponderEliminar
  3. Faltou a cor do equipamento, já que com o Proença só ganham os de azul...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cara Karenina (isto fica a meio caminho entre a gaguez e a educação), uma hipster com insights de futebol nacional???

      Ainda se fosse para dizer que o Nocerino é um dos doppelgangers do Miguel Veloso...

      Eliminar
    2. Caro Mak, uma hipster, por vezes, rende-se ao senso comum, mas não diga nada a ninguém.

      Eliminar
  4. Gostei do relato. e li até ao fim a ver se dizias quem tinha ganho. Suponho que para os aficionados da bola, o resultado não interessa, o que interessa é só a maneira como as equipas jogam?? pah, agora tenho de ir pesquisar, que fiquei curiosa quanto ficou.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se os ingleses foram a penalties, creio que é auto-resposta.

      Eliminar
  5. Respostas
    1. Pirlo, no mínimo, ganha até agora o troféu Balls of Steel.

      Eliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.