1.6.12

Hoje é dia do meu cérebro


Por todas as vezes que me disseram que era um bocado infantil, agradeço. Se isso não fosse verdade, a minha forma de pensar já teria deixado de lado a secreta esperança de hoje ainda poder receber uma prenda.

E não confundamos maturidade com a simpática capacidade de não ter que adequar a nossa maneira de ser à idade que tenhamos no BI (seja ela 20, 30, 40 ou por aí em diante).

Posto isto, acrescento que este texto foi escrito por alguém que hoje foi trabalhar de calções. Com tudo de bom e mau que isso possa querer dizer.

8 comentários:

  1. calções, boné, manga curta, toalha de praia, apanhar banhos de sol na relva verdinha...e no fim ganhar pipocas, chupa chupa e gelado!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isto anda rés vés uma letra do Emanuel...

      Eliminar
  2. Bem, nem toda a gente se pode gabar de poder ir assim trabalhar :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É um dos privilégios, como é óbvio depois a factura do mesmo é sempre paga lá pelo meio ;)

      Eliminar
  3. Pois eu trabalhei de top e havaiana no pé
    (só para que o caro Mak não se fique a rir)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. De top e havaianas nunca fui e se o fizesse dá-me a ideia que não seria eu que iria ficar a rir...

      Eliminar
  4. Faço questão de preservar o meu lado mais infantil.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É por aí e há que o preservar sem formol.

      Eliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.