8.6.12

Eina pá, isto é um raciocínio quase profundo

Quando eu deixar de ser como sou talvez tu percebas que se continuares a ser como és as coisas nunca mais vão voltar a ser como eram.



Nota: Isto fica muito bem em blogs, tem tempero que parece quase introspectivo, mas é um bocadinho como a história do Rorschach, com a diferença que eu aqui sou apenas o tipo que desenha os cartões sem saber muito bem para que é que a coisa serve.

6 comentários:

  1. E ainda faz sentido que as coisas voltem a ser como eram (sublinhando o eram)?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não sei. O problema das frases pseudo qualquer coisa é que não vêm com manual de instruções...

      Eliminar
  2. E mesmo que viessem, suspeito que não viriam na língua que procuramos...
    (No fim de contas, são só cartões, borrões de tinta. Não sei se importa o que dizem Rorschach ou o Exner. Pelo menos, para as coisas que esperamos que voltem a ser como eram...)

    ResponderEliminar
  3. E olha, o sentido que faz... ah pois! ;P

    ResponderEliminar
  4. Vou já estragar isso tudo: se a 1.ª premissa se verificar a terceira também se verifica, o que torna a 2.ª irrelevante.
    Sou o máximo.

    ResponderEliminar
  5. Não vale usar lógica na blogosfera. Senão não brinco...

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.