9.5.12

Histórias da tropa ou tropa que passou à história?


Não fui à tropa. Quiseram os deuses que a minha formação académica e a minha personalidade não se conjugassem com uma carreira militar. No entanto, ainda fui à inspecção e isso, por si só, já garante histórias divertidas sobre um dia passado no quartel.

No entanto, entre familiares e alguns amigos, sempre tive conhecimento de alguém que tivesse cumprido o serviço militar e contasse episódios que, mais tarde, indivíduos de má cepa como eu aproveitavam para construir apontamentos que começavam invariavelmente com “Eu conheço um tipo que está na tropa e...”.

A questão é, na próxima geração, os efeitos do fim do serviço militar obrigatório serão ainda mais visíveis e os putos cada vez terão menos referências militares e será difícil encontrar uma boa história da tropa. Para muitos, o comando já é apenas uma cena do meo.

Como esta: No dia em que fiz a inspecção, reuniram os presentes num auditório, onde informaram sobre o que iria ter lugar. O oficial responsável, com algum desdém, fez então o seguinte aviso:

“Portadores de deficiências graves, impedimentos semelhantes e obesidade, por favor formem fila junto ao lado esquerdo”.

Ao ver um tipo gorducho que se levantava para ir para a fila, acrescentou:

“Tu da camisa vermelha, tu não és obeso, és só gordo. Podes voltar a sentar-te”.


Portugal não pode ficar reduzido aos mínimos em histórias deste calibre. Portugal merece mais.

Solução: Portugal tem de entrar em guerra.

4 comentários:

  1. Das 2 últimas vezes que entramos em guerra foi o que se viu...da 1ª então...

    Fui 2 vezes à inspecção, com um intervalo de 4 anos. Fiquei sempre na fila do lado direito.

    Fui o único gajo da família a não fazer tropa e de quando em vez levo com a piada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pode ser uma guerra pequenina, tipo contra independentistas fictícios das Berlengas, só para aumentar a recruta e as probabilidades de se gerarem mais histórias a que eu tenha acesso.

      Eliminar
  2. Lol! Não tivemos o ensaio geral no 1º de Maio nos Pingo Doce?
    (vê-se que não foste à trop! Mak. Aquilo é mesmo mau, acredita. Nem se aprende a ser homem coisa nenhuma. Quando muio, arranjam-se uma série de vícios)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. oh, depende... aprendes que podes dar pontapés em TNT...

      Eliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.