3.5.12

Alguém precisa de uma mãozinha?



Diálogo com o ortopedista, por ocasião da comemoração da retirada do gesso da mão direita.


Dr - Vamos então retirar isto, mas puxe a camisola para cima, para não a cortar.

Maneta – Pois, uma pessoa não vem ao hospital para cortar na casaca.

Dr (sorri condescendentemente) – Pronto, já está, traço geral a fractura parece recuperada. É natural que a pele escame nos próximos dias, por isso hidrate-a e, já agora, pode aproveitar para lavar a mão aqui. (aponta o lavatório). Eu não digo a ninguém que já não a lava há um mês.

Ex-Maneta (lavando as mãos efusivamente e levantando-as) – Eu também não, uma mão lava a outra. (piscadela de olho)

Dr (sorri condescendentemente, pensando porventura que pacientes sedados falam menos) – Vem falar comigo daqui a um mês mas, até lá, nada de desportos de contacto e por favor não se meta em zaragatas.

Ex-Maneta – Portanto, isso quer dizer que não posso ir ao Pingo Doce?

Dr (abana a cabeça) – Vá, vá-se lá embora antes que eu lhe dê um aperto de mão com força.

Ex-Maneta (já da porta) – Não faça isso, olhe que eu sou daqueles que é antes quebrar que torcer…



E assim ficámos, no meio deste chorrilho de alarvidades pós gesso. Agora, em Junho temos a segunda mão desta jornada (ok, não resisti a só mais esta).

6 comentários:

  1. AHAHAHAHAHAH... o que eu já me ri com esse diálogo a duas vozes e quatro mãos! Pelo menos já estás livre do gesso, pensa assim: "Deus tira com uma mão, para dar com a outra"

    ResponderEliminar
  2. Eh lá, tens uma linha da vida gigante!

    ResponderEliminar
  3. Só faltava teres-te despedido do médico com uma palmada nas costas :)

    ResponderEliminar
  4. Mak no seu melhor. Acho que a 2ª mão promete, aproveita que vais em vantagem.

    ResponderEliminar
  5. @macaca - sorte que acabo sempre na ortopedia e não na avaliação psiquiátrica.

    @força - Eu disso percebo pouco, não serão sulcos do gesso?

    @vic - Nos entretantos, palmadas só carinhosas ;)

    @blue - Espero também chegar lá mais sequinho, que o dilúvio matinal em Lisboa fez-me chegar lá em sopa da cintura para baixo.

    ResponderEliminar
  6. tem graça que eu também. Só sei mesmo a linha da vida!

    Espero que não sejam sulcos, senão estás lixado.

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.