10.5.12

2356



Este é o número de dias consecutivos, entre 2000 e 2006, em que Noah Kalina se fotografou para elaborar “Everyday – A work in progress”. Exercício bonito, dificuldade acrescida na falta de expressão facial que unifica a coisa. Eu já tentei uma coisa destas durante uns meses e a minha vertente de palhaço deu cabo da estética em dois tempos.

Também gosto da música, aliás foi pela música que eu cheguei a esta experiência. E como é que eu cheguei à música?

A resposta dá logo uma machadada no pós-modernismo intelectual que isto podia querer transparecer – cheguei a esta música através de um separador da NBA que eu vi vezes sem conta no intervalo dos jogos.

E basket também é cultura.

1 comentário:

  1. Aliás, quando o futebol indígena chegar ao nível da NBA em termos desportivos e financeiros (e consequente moralização nas questões salariais) também poderá aspirar a estar ao nível da cultura.

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.