3.4.12

Horas extra ordinárias com sotaque

Às vezes quando trabalho demais, como hoje, imagino-me a atender o telefone e a ouvir do outro lado uma voz bem gordurosa com sotaque brasileiro.

“E aí cafajeste está gostando?”
“Estou gostando do quê? Quem fala?”
“Está gostando de ser possuído à bruta sua onça?”
“Mau....”
“Me chama nomes seu pilantra, eu vou fazer filé de você”
“Isto é assim? Estou a trabalhar...”
“Trabalha canalha, que meu negócio é possuir você todjinho...”
“Vamos lá parar com a conversa do possuir...”
“Mas eu gosto seu cara dji pau...”
“Gostas do quê?”
“De fazer você seu safado...”
“Mas quem és tu?”
“Sou sua hora...”
“Que hora?”
“Sua hora extra ordinária....”

É nessa altura que desligo mentalmente, arrumo as coisas e saio. Se é para trabalhar até às tantas e ainda por cima manter diálogos telefónicos com horas extra ordinárias, aviso já que só alinho nisso quando tiverem, no mínimo, sotaque checo.

7 comentários:

  1. Se fosse em russo sempre poderias perguntar-te se era a vodka do Lidl a fazer efeito.

    ResponderEliminar
  2. Eu achava que o meu cérebro talvez estivesse a fritar de vez, mas depois cheguei aqui...You take it to a whole different level! :D

    ResponderEliminar
  3. Mas mas mas...porquê??? Só mesmo desta cabecinha! ahahahah

    ResponderEliminar
  4. Atenção, não foram consumidas substâncias ilícitas no decorrer deste post, nem foram denunciadas quaisquer vozes ao SEF.

    ResponderEliminar
  5. eheheh! O que pode fazer o trabalho: alucinações!

    ResponderEliminar
  6. cuidado com as horas extraordinárias que aparecem a falar com ar melado...

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.