6.4.12

Fracturar a mão está na moda

“Ainda por cima foi a direita, que azar...” Passa sempre por aqui a conversa de quem me vê com a mão engessada desde ontem à tarde. Sorrio, para logo de seguida informar quem ainda não saiba – sou esquerdino.

Os incómodos desta situação não são o fim do mundo. Parte do meu trabalho passa por pensar e escrever e, até ver, só a segunda capacidade está mais lenta e apenas na sua versão teclada. Posso até contar a história da lesão, maravilhando os que me rodeiam e pensam que já não é possível esmurrar um unicórnio no mundo real. Tenho relatos de uma tarde no hospital e de como passei a manhã a ultimar um trabalho ao computador já com a mão feita num molho de brócolos.

Se me apetecer arriscar, posso até ir para um fila prioritária quando for às compras ou desafiar uma idosa por um lugar no metro e tentar não sair de lá com a outra mão igual a esta danificada.

Até ao momoento, para ser franco, só duas coisas me incomodam: o facto de apesar de ser a mão que está partida, não me deixarem correr e a dificuldade que é arranjar um lenço com algum estilo para colocar a mão ao peito quando saio à rua.

Que cores estão na moda para os inválidos nesta estação?



Quem diria, foi preciso ficar mão de gesso, para este blog começar a ter preocupações fashion...

5 comentários:

  1. estilo era segurares o braço com suspensórios, parece que andam na moda...

    ResponderEliminar
  2. Pá, o verde está sempre na moda!

    (e as melhoras :) )

    ResponderEliminar
  3. Em matéria de cores, tem mas é cautela com a segunda demão.

    ResponderEliminar
  4. Um beijinho para melhorares ;)

    ResponderEliminar
  5. Suspensórios verdes por cima de um macacão de pintor? Se for assim, nem com beijos melhoro só com álcool ;)

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.