9.4.12

Esqueçam por um momento a gaja loira




Ai coitadinha da Marilyn, uma diva que nos foi retirada cedo de mais, um ícone de uma geração que brilhou de uma forma única, blá, blá, blá, estilo, glamour e regabofe.

Difícil era ser black, feioso, convertido ao judaísmo, com um olho de vidro ainda o José Cid não sonhava com isso e ser bem sucedido no mundo do espectáculo dos EUA nos anos 50/60. E anos mais tarde levar com o bónus da tua história também não acabar bem.

O resto são os mitos que fazem a diferença.

6 comentários:

  1. Falta acrescentar que o homem também tinha uma predileção pelas louras mais louras não há :)

    ResponderEliminar
  2. Verdade, e no fim de contas, tá lá a loira.

    ResponderEliminar
  3. Nesta imagem, queria destacar ainda o excelente patrocínio em versão product placement das Lojas Singer.

    ResponderEliminar
  4. e por acaso não sabes de quem é a foto?

    ResponderEliminar
  5. O autor da foto?


    Sei :)

    http://latimesblogs.latimes.com/home_blog/2010/04/-frank-worths-classic-hollywood-photographs-marilyn-monroe-elizabeth-taylor-at-art-artifact.html

    ResponderEliminar
  6. Sammy, uma lenda para os sacanas. Tenho uma foto dele com o Sinatra e o Dean Martin no meu quarto. Todos a rir em Las Vegas. I wonder what happens in Vegas ...

    http://www.youtube.com/watch?v=O_UBgkFHm8o

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.