23.3.12

Rosé for dummies




A vantagem de não perceber mais de vinhos para além do “gosto/não gosto/isto é bom para matar bicho da madeira?” é que podemos ficar imunes durante uma discussão sobre vinho rosé, lambruscos e o diabo a quatro. Imunes e a encher o copo, acrescente-se.

É para meninas? Está na moda? Não é vinho? É para meninas de barba rija? Tem o seu je ne sais quois, mas só isso em francês que o léxico também não é vasto? Desconheço.

Sou a Suíça da escolha de vinhos mas, aproveito sempre um jantar de quando em vez para levar mais uma pomada da espécie e deixar o festival começar. Posso não ser um ás do copo, mas sempre fui mestre a gozar o prato.


Até já.

5 comentários:

  1. Situamo-nos então na mesma categoria: não percebo nada de vinhos. Mas por opção. Prefiro cerveja. Boa. Belga de preferência, e nada daquelas mijocas que vendem por aí.
    E também gosto de gozar o prato. Desde que seja razoavelmente cheio

    ResponderEliminar
  2. Que se goze o prato então. Se de vez em quando tiver rosé a acompanhar, tb serve. Mesmo que sejam os outros a escolhê-lo.

    ResponderEliminar
  3. Melhor mesmo só aquele pessoal entendido dos vinhos que para prová-lo nem sequer chega a engoli-lo. É mais ou menos como ter uma tipa à disposição e dar-lhe um beijinho na mão.

    ResponderEliminar
  4. Se tiveres sempre a possibilidade de gozar o prato dá-te por contente. Alguém escolherá por ti.

    ResponderEliminar
  5. Não é dos entendidos que tenho medo. Assustam-me aqueles que, como o Dexter referiu, dão-se uns ares e mandam seguir em frente.

    Para isso, mais vale levar rosé ;)

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.