21.3.12

Mazelas

Ao acordar hoje reparo nas minhas pernas e o cenário não é de encantar. Parte da frente do joelho direito esfolada, parte interior do joelho esquerdo com uma clara marca de uma pancada. Se não doem para além do toque, parece-me que o segredo talvez seja não tocar. Já com o dedo médio da mão esquerda não é bem assim, está inchado e ligeiramente dorido.

Nestas alturas lembro-me sempre do que a minha mãe me diz, quando calha a ver algum deste tipo de marcas “Ai filho, o que é que o desporto te deu para além de mazelas?”

Tendo em conta que desde os seis anos pratiquei sempre alguma modalidade, incluindo largos períodos a nível competitivo, o desporto é capaz de me ter dado alguma coisa para fazer companhia às mazelas.

Acima de tudo deu-me tempo para aprender o valor de uma equipa, a noção que não tens de gostar de perder mas precisas de saber aceitá-lo e que deves sempre escolher pessoas mais pequenas do que tu para andar à porrada. E a verdade é que sempre fui competitivo e sem o desporto, possivelmente seria insuportável nesse aspecto.

Mas a minha mãe sabe disso tudo e, conhecendo-me, ficaria desconfiada se eu lhe desse uma resposta tão composta como esta. Por isso, quando lhe respondo coisas como “Olha também me deu fama, dinheiro e mulheres de bom porte, mas deixei tudo lá embaixo porque o teu elevador é pequeno” dá-me um calduço e ri-se. Se não me tiram a capacidade de ser idiota, não devem ser mazelas importantes.

1 comentário:

  1. “Olha também me deu fama, dinheiro e mulheres de bom porte, mas deixei tudo lá embaixo porque o teu elevador é pequeno”

    altamente :D

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.