16.2.12

Se o fim do mundo for um livro, só vamos dar por isso quando sair o filme

Cada vez há menos tempo para tudo.

O que faz com que ter tempo seja um luxo.

Para ler é preciso tempo.

Quando falo em ler, não digo passar os olhos pelo jornal.

Ou ler porque faz parte do trabalho.

Ler é mergulhar num livro e sair só quando a sede o tiver bebido por completo.

Eu consigo parar o tempo quando estou a ler.

Mesmo que o tempo não perceba isso.

Os dois minutos que vais demorar a ler isto nunca existiram.

Na geração do imediato não há tempo para enredos.

Quer-se saber o final da história, já.



Final da história: Ler menos significa escrever pior o que significa comunicar pior, o que significa que caminhamos para uma era evoluída de comunicação primitiva.



A internet, o mundo virtual e os telemóveis promovem o que é resumido.

Td pk assim qq 1 tem +tempo n é? LOL

Não haveria problema, se não nos ficássemos sempre pelo resumido.

Muitas pessoas com cargos de direcção/formação cada vez lêem menos.

A carreira toma-lhes porventura muito tempo.

Falhas de comunicação, linguagem mal articulada, erros grosseiros fazem parte dos quadros das empresas.

Os poucos que percebem, riem-se. Os outros também, mas só se os chefes se rirem.

Há quem pense saber escrever e não consiga ler nas entrelinhas que está longe disso.

O erro não existe, porque ninguém detecta o erro.

Em breve, boa parte dos livros não serão livros.

Serão algo parecido, mas simplificado e escrito de forma muito parecida com a escrita, mas sem ser necessário complicar. Simplifica.

Sê Ligeiro, light, prático e rápido.



Se o fim do mundo chegar um dia na forma de um livro, estamos safos.

Há boas hipóteses de muito poucos darem por ele.

6 comentários:

  1. E a quantidade de pessoas com cargos de responsabilidade nas empresas que nem escrever sabem está a atingir valores nunca antes registados. É uma "tristesa"...

    viagensnomeucaderno.blogspot.com

    ResponderEliminar
  2. O post está bom, mas talvez pudesse ter sido dito o mesmo com metade das palavras...

    ResponderEliminar
  3. No "fundo" vivemos na sociedade de informação.
    Não vivemos na sociedade de formação.
    Na primeira, as lombadas são suficientes.

    ResponderEliminar
  4. É verdade que cada vez temos menos tempo.
    Não era suposto a tecnologia nos facilitar ?
    Será que é de hoje que as pessoas não tem hábito de ler ... ?

    ResponderEliminar
  5. @Tiago - O problema, para além do erro em si é que muitos deles nem são detectados por inépcia dentro de uma estrutura.

    @Condutor - Claro que podia, mas assim obrigo a ler mais umas linhas ;)

    @Capitão - Uma boa lombada fica sempre bem, mas às vezes apetecia mais uma lambada.

    @Ysse - A perda do hábito é gradual e notória de geração para geração. Por outro lado, a produção de conteúdos/escritores é muito mais fácil por causa também da tecnologia e do acesso aos meios. Resultado - há uma oferta bem mais dispersa e isso nem sempre é sinal de mais qualidade.

    A tecnologia facilita se for usada para esse fim. Por exemplo, é fácil ler livros num ipad, muito semelhante a um livro (embora eu seja um adepto do folhear analógico. No entanto, eu diria que é uma % muito baixa a de utilizadores que usam o seu tablet para esse fim.

    Eu próprio vou contra as "regras" do blogging tradicional, com textos extensos, pouco recomendáveis para leitura online.

    Mas, a verdade é que não me preocupo muito com isso e redobra a consideração que tenho por quem dispensa o seu tempo para aturar estas alarvidades :)

    ResponderEliminar
  6. Ora é um prazer ler "alarvices".

    Mas um livro é um livro não me imagino a adormecer de tablet em punho.

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.